Cidade Comunidade Esporte Últimas Notícias

Piloto italiano é o novo campeão mundial de Paramotor Clássico Onze equipes disputaram o título mundial em três categorias no Campeonato em Saquarema

Onze equipes disputaram o título mundial em três categorias no Campeonato em Saquarema

Na abertura do evento os pilotos deram um show de paramotor que coloriu o céu de Saquarema. (fotos: SECOM/PMS)

A estreia do Brasil como sede da 11ª edição do Campeonato Mundial de Paramotor confirmou a hegemonia francesa no esporte. Ao longo de 10 dias de provas, cerca de 100 atletas de onze países coloriram o céu de Saquarema, no litoral do Rio de Janeiro, em uma competição acirrada, que contou com desafios para os atletas. No final, o italiano Pasquale Biondo levou a melhor, conquistando o título na categoria PF1, que desde 2014 estava nas mãos dos pilotos franceses.

Ao longo do campeonato, os atletas realizaram provas de navegação com economia de combustível, navegação rápida, pouso com precisão e desafios como paraball, em que os pilotos precisam, durante o voo, pegar uma bola com os pés e arremessar dentro de uma cesta no gramado. Na categoria Paramotor Solo (PF1), o título ficou com italiano Biondo Pasquale, seguido pelos franceses Cyrill Chelli e Jean Emille Oulha, em segundo e terceiro lugar. Vale destacar que entre os 10 primeiros pilotos desta categoria, sete são franceses.

Na Paratrike Solo (PL1), dois franceses nos primeiros lugares: Boris Tysrbaert (França) e Michael Merle (França); o brasileiro Marcelo Martins conquistou um título inédito para o país, ficando em terceiro lugar. Na modalidade Paratrike Duplo (PL2) os vencedores foram: Fabrice Breuzard e Oriane Brezaurd (França); Stéphane Clavurier e Cyril Pasquier (França) e Valcir Aires e Alison Gehrke (Brasil).

Para o novo campeão mundial, Pascale Biondo, a realização do mundial pela primeira vez nas Américas surpreendeu: “As provas estavam disputadas; foi uma competição com altos e baixos, mas no final deu tudo certo e celebro este título conquistado em Saquarema, no Brasil”, destaca Pasquale.

CRESCENDO NO ESPORTE

Estreando em competições internacionais, a equipe brasileira mostrou que veio representar com força o país, pela primeira vez sede do mundial. Com muita precisão, mas sem deixar de lado a alegria e o posto de anfitriões, os atletas brasileiros conquistaram o segundo lugar por equipes, com a segunda maior pontuação do Mundial, atrás apenas da França.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Paramotor (CBPM), Luis Laghi, a realização do 11th WPC FAI 2022 deixa um legado para o esporte no país. “Ano após ano, a prática do paramotor tem crescido no Brasil e com isso, logicamente, a nossa participação em provas tanto nacionais quanto internacionais tem sido representativa e com ótimos resultados. Apostem no paramotor, pois ainda se falará muito dos nossos pilotos”, completa Lagui.
O piloto e instrutor internacional Ricardo Maciel (Caju), um dos diretores do evento, concorda com o presidente da CBPM. “Realizamos o sonho de trazer a competição para o Brasil. Ou melhor, para as Américas. Todos os pilotos estão saindo encantados com o nosso país, em especial Saquarema. E esta troca, este intercâmbio entre os atletas, só fortalece o esporte. Afinal, tivemos os principais pilotos do mundo juntos aqui”, destaca. O próximo Mundial de Paramotor Clássico FAI está previsto para ocorrer em 2024, em um país a ser confirmado.

O 11th FAI WPC2022 foi uma realização da Confederação Brasileira de Paramotor (CBPM), com patrocínio da Prefeitura Municipal de Saquarema, Sol Paragliders, Vittorazi e Ok Virtual, Maxifly Capacetes, NaCarreta e Gkoll Energia Solar. Confira o resultado final: http://wpc2022.com.br/en/score/

Os pilotos em momento de descontração em Sampaio Corrêa

Similar Posts