Bióloga é atacada com ácido em Saquarema, RJ

A bióloga e empresária Andreia Montibeler está internada, vítima de ataque com ácido que atingiu sua face e o corpo e respingou em seu filho de 6 anos, no caminho da escola

A oceanógrafa e empresária Andreia Montibeler foi vítima de ataque em Itaúna.

A oceanógrafa e empresária Andreia Montibeler foi vítima de ataque em Itaúna.

A bióloga Andreia Montibeler, de 35 anos, e seu filho de apenas 6 anos, foram atacados violentamente por dois homens numa moto que jogaram ácido sobre eles, no caminho da Escola Corujinha, na Praia de Itaúna, em Saquarema. Segundo o delegado da 124ª, DP, Dr. Luciano Coelho, a ocorrência foi registrada como “lesão corporal grave, com princípio de deformidade permanente”. As vítimas foram levadas inicialmente para o Hospital de Bacaxá e transferidas para o HC Lagos, em Araruama. Mas devido à gravidade dos ferimentos, Andreia foi levada para o Rio, estando internada desde ontem, dia 11, na UTI da Clínica São Vicente.

Por ser bióloga especializada em oceanografia, Andreia veio morar em Saquarema com o marido e também oceanógrafo Ricardo Saraiva e o filho Ian, há cerca de 6 anos, atraída pela exuberância do mar e pelas belezas naturais típicas da Região dos Lagos. Natural de Santa Catarina, é formada pela Fundação Universidade do Rio Grande (FURG), trabalhou como pesquisadora no Projeto Tamar, da Petrobras, que preserva tartarugas no litoral do Brasil, e em outros projetos com tubarões, aves marinhas, invertebrados, baleias jubarte, golfinhos rotadores e outra espécies. Foi Andreia que identificou no ano passado as tartarugas “cabeçudas” que nasceram em frente ao Hotel Maasai, nas areias de Itaúna, praia onde se realizam famosos campeonatos de surfe.

Encantada com o bairro de Itaúna, Andreia inaugurou na Avenida Oceânica a Academia Mitra, com modernos equipamentos de fisiculturismo, dispostos em 4 andares. E logo atraiu o público, inclusive com uma programação específicas para crianças. A principal suspeita para o crime é vingança, segundo testemunhas, na academia começaram desavenças, especialmente por parte de um aluno que chegou a publicar no Facebook graves acusações contra ela. Para se defender, Andreia deu queixa na polícia. Pouco tempo depois veio a agressão física contra ela e seu filho, quando retornavam da escola. Desde ontem o assunto corre por toda a cidade, onde se comenta que o principal suspeito já teria fugido.

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.