O mosaico alegre, diversificado e colorido do carnaval de Saquarema

Proporcionar aos foliões um carnaval com segurança e organização. Esta foi a meta da Prefeitura para a grande festa popular.  A Secretaria Municipal de Segurança e Ordem Pública preparou um regime especial de trabalho, com atuação integrada de vários organismos. Todo o efetivo da Guarda Municipal, Salvamar e Fiscalização de Postura atuou, além de 60 agentes contratados pela para o serviço de apoio.

Foi proibido o uso de veículos com aparelhagem de som, mas o esquema de repressão revelou-se insuficiente para impedir o barulhão. Foram proibidos também acampamentos nas areias das praias, transporte alternativo e comércio ambulante, inclusive de bebidas alcoólicas. Mas muitos furaram a proibição, assim como os carros de som que burlaram a lei e mantiveram suas traseiras abertas com amplificadores in-fernizando a vida dos cidadãos.

O trânsito sofreu alterações e engarrafou a Avenida Nossa Senhora de Nazareth, devido ao fechamento da Orla da Lagoa, com um palco para o carnaval do tipo “baiano”, com “axé-music”. A Avenida Ministro Salgado Filho também foi fechada ao tráfego, entre os quiosques 1 e 15. Em Itaúna, o estacionamento foi permitido na Avenida Vilamar. Mas todas estas iniciativas não chegaram a contribuir com o carnaval de  Jaconé, onde não havia praticamente a presença da Guarda Municipal, do pessoal de apoio e  da Polícia Militar. Ainda bem que não houve nada grave…

Água e energia

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, do Governo do Estado e a Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Rio de Janeiro (Agenersa) reuniram-se com prefeitos e representantes das concessionárias de energia, águas e esgotos da Região dos Lagos, às vésperas do carnaval, para articular um plano, visando garantir o fornecimento desses serviços no período carnavalesco. Estiveram presentes, na reunião em Araruama, vários prefeitos, inclusive Franciane Motta, de Sa-quarema, e representantes da Ampla, Águas de Juturnaíba e Pro-lagos.

Historicamente, as cidades da Região dos Lagos registram um grande fluxo de turistas no carnaval. Neste carnaval, o movimento foi potencializado em função das chuvas que atingiram, no início do ano, Angra dos Reis e Região Serrana.  Portanto, foi necessária uma ação de caráter preventivo. Mesmo assim, houve  queda de luz e faltou água, fazendo com que os carros-pipa cobrassem o triplo do preço fora da temporada: de 100 o preço da água foi para 300 reais.

Fotos: Edimilson Soares e Paulo Lulo.

.

Saiba tudo sobre o Carnaval 2010 aqui:

.

Capa O Saquá 118Matéria publicada na edição de março
de 2010 do jornal O Saquá (edição 118)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.