Paraty sediou o V ECOB-RJ

Encontro de Comitês de Bacias Hidrográficas do Rio de Janeiro

Mesa de diálogo coordenada pelo professor da Coppe UFRJ José Paulo Azevedo tratou a relação da diminuição da vazão dos rios e o avanço marinho (Foto: Dulce Tupy)

Representantes da sociedade civil do Comitê de Bacia Lagos São João: Flávia Lanari, da Apalma, Dulce Tupy, do Instituto Lagrange e Edna Calheiros, da Ameas (Foto: Divulgação)

A Casa da Cultura de Paraty, situada no Centro Histórico da famosa cidade colonial, foi o cenário do V Encontro Estadual de Comitês de Bacias Hidrográficas do Rio de Janeiro – ECOB/RJ – realizado entre os dias 28 e 30 de agosto. Aconchegante e belo casarão, numa rua de pedras, com calçamento do tipo pé de moleque, a Casa de Cultura recebeu cerca de 250 inscritos, e teve como atração na abertura do evento um grupo indígena guarani que se apresentou com sua música e coro secular.

O V ECOB reuniu os Comitês de Bacia Hidrográfica (CBH) do Rio de Janeiro, entre eles representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica Lagos São João, do qual Saquarema, Araruama e Silva Jardim fazem parte, entre outros municípios da Região dos Lagos, Costa do Sol e Baixada Litorânea. O V ECOB teve como tema central “A Gestão Costeira e a Integração com os Recursos Hídricos”. No encerramento, aconteceu a Assembleia Geral do Fórum Fluminense de Comitês de Bacias Hidrográficas (FFCBH), que promoveu o evento, com apoio da Prefeitura de Paraty e organização da Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (AGEVAP).

As principais mesas trataram de questões técnicas, como a primeira, coordenada pelo presidente do CBH BIG (Bacia da Ilha Grande), Tiago Oliveira, sobre gestão costeira e recursos hídricos, e a coordenada pelo professor da COPPE/UFRJ José Paulo Azevedo sobre avanço costeiro e cunha salina. Também foi destaque a mesa jurídica, moderada por Maria Aparecida Vargas, presidente do CERHI (Conselho Estadual de Recursos Hídricos), que reuniu o promotor José Alexandre, do MPE-RJ, Ana Gayoso, procuradora do INEA, Ana Alice de Carti, da Comissão Ambiental da OAB-Rio e André Marques, da AGEVAP.

O promotor José Alexandre Maximino, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, na foto o segundo da esquerda para a direita, também participou do encontro numa mesa que tratou da questão jurídica (foto: Marcelo Alves / Agevap )

Participaram membros dos Comitês de Bacias do Estado, gestores públicos (federais, estaduais e municipais), empresas de saneamento, universidades, instituições da sociedade civil e ambientalistas, entre eles a jornalista e escritora Dulce Tupy, editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações, a ambientalista Flávia Lanari, da ONG Apalma, de Maricá e membros do NEA-BC (Associação Núcleo de Educação Ambiental da Bacia de Campos). Mais notícias sobre o NEA-BC no V ECOB, na página 7, na coluna Roda de Conversa, da professora Edna Calheiros, presidente da AMEAS (Associação de Mulheres Empreendedoras Acontecendo em Saquarema).

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.