Iemanjá homenageada em Jaconé

Zenilda, Pai Elias de Iansã e Mara, superintendente de Igualdade Racial da secretaria estadual de Direitos Humanos são o núcleo duro da organização do evento (Edimilson Soares)

Zenilda, Pai Elias de Iansã e Mara, superintendente de Igualdade Racial da secretaria estadual de Direitos Humanos são o núcleo duro da organização do evento (Edimilson Soares)

Iemanjá, a rainha do mar, será homenageada na Praia de Jaconé, em frente à Rua 96, no dia 31 de janeiro, domingo, antecipando o Dia de Iemanjá, comemorado em vários pontos do país em 2 de fevereiro. O “1º Presente às Águas de Jaconé” é um evento criado pelo pai de santo Elias de Iansã, de Nova Iguaçu, que tem uma casa de veraneio em Jaconé e sonha em ver o culto a Iemanjá se transformar numa ação permanente no bairro.
O primeiro projeto em homenagem a Iemanjá, elaborado pelo pai Elias foi entregue a um vereador que, em vez de realizá-lo de comum acordo, deslocou o evento para outro lugar. Agora, o “1 ° Presente às Águas de Jaconé” é um resgate do projeto original do pai Elias de Iansã, que vai reunir mais de 30 barracões ou terreiros, centros de umbanda e candomblé, para homenagear Dona Janaína, como Iemanjá é conhecida na umbanda, ou sereia, como se tornou conhecida no sincretismo religioso afro-brasileiro, Yemojá, como é chamada na Nigéria, Yemaya, em Cuba, a filha de Olokun, soberana dos mares.
Tanto no Brasil como em Cuba, Iemanjá é considerada a mãe de todos os orixás. No litoral do Brasil, é homenajeada no final do ano, dia 31 de dezembro, em várias praias de norte a sul. Reconhecida no catolicismo como Nossa Senhora dos Navegantes, é cultuada no Rio Grande do Sul e na Bahia, com grandes procissões marítimas. Nas festividades dedicadas à Iemanjá, os devotos vestem roupas brancas e as oferendas são flores, de preferência palmas e rosas brancas, comidas, perfumes, espelhos e bijuterias. Em alguns locais, a celebração inclui um “banho de pipoca”, bolo de arroz, manjar e cocada branca.
A reunião para preparar o evento foi na casa da mãe de santo Zenilda, em Jaconé, e reuniu além do pai Elias de Iansã, Mara Ribeiro, superintendente de Igualdade Racial da Secretaria Estadual de Direitos Humanos. Também participaram do encontro Luizão, do Bloco do Magno, e Carlos, que realizou os primeiros eventos em homenagem a Iemanjá há anos em Jaconé. O “1° Presente às Águas de Jaconé” tem como parceiros a Colônia de Pescadores Z-24 e o jornal O Saquá, entre outros.

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.