POUSO NA LUA: 45 ANOS

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

“O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”. (Guimarães Rosa).
E coragem não faltou, não falta e não faltará aos astronautras na conquista do espaço. Inclusive a EDWIN “BUZZ” ALDRIN, segundo homem a pisar na Lua e primeiro a ser fotografado por seu colega Neil Armstrong, logo depois que desceu do módulo Eagle, na Missão Apolo XI, em 1969.
O pouso completou 45 anos e ALDRIN, aos 84 anos, concedeu interessante entrevista publicada na Revista Época nº 843, de 28/07/2014, na coluna do jornalista Bruno Astuto. Dela destacamos que ele (ALDRIN) revelou que aonde quer que vá, sempre alguém lhe conta onde estava no dia em ele pisou na Lua. Segundo suas palavras, (…) “todas as classes sociais foram afetadas pelo pouso lunar. A Apollo era um programa para toda a humanidade, não apenas para os Estados Unidos”. Disse ainda que não ficou rico: “Ganho dinheiro dando palestras e fazendo aparições. É o caso da maioria dos astronautas da Apollo.” Indagado sobre o fato de só ele ter ficado célebre, dentre os onze astronautas que foram ao espaço, ele respondeu: “É porque ainda persigo o futuro. Alguns de meus contemporâneos na Missão Apollo estão felizes em se aposentar, jogar golfe e pescar (…) já eu me importo mais em deixar um legado duradouro para o futuro, do que em apenas ser lembrado pelo que fiz no passado (…) Agora é hora de ir a Marte (…) Os Estados Unidos têm de começar a colonização em Marte, com planos de permanência (…) Os que forem devem se planejar para passar o resto de suas vidas lá (…) Pensava que seria dificil convencer as pesoas a isso, mas centenas de indivíduos se ofereceram à “Mars One”, na Holanda. Recebo muitos e-mails no meu site com gente disposta a ir (…) É hora de irmos além da Lua.”
Verdade, amigos, o que a vida “quer da gente é coragem”, mas de alguns, a vida exige mais que coragem. Exige audácia.
Ps. Aldrin também revelou que foi o primeiro a fazer “xixi” na órbita lunar – num recipiente próprio em seu traje espacial. Fez questão de revelar este fato prosaico, mas também histórico… rsrsrs…

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.