Feliz 2014, ano de Xangô, regido por Júpiter e pelo anjo Haniel

Editorial - Dulce Tupy

O ano de 2013 foi dose! Regido por Saturno, foi um ano estressante. Mas 2014, sob a regência do planeta Júpiter, será um ano de reflexão e inspiração. Segundo os astrólogos, Júpiter vai iluminar o lado espiritual, a intuição e a ética. Será um ano suave, para recuperar energias. Outras previsões indicam que brilho de Júpiter ficará ainda mais intenso com o anjo Haniel, que beneficia o amor e a reconciliação. O número 7 também leva à iluminação interior, recolhimento e espiritualidade. Será um ano de busca do equilíbrio entre o corpo, mente e espírito. No horóscopo chinês, o ano – que começará em 11 de fevereiro – será regido pelo cavalo, com necessidade de buscar a paz interior e harmonia.

Nas religiões de matriz afro-brasileiras, o ano de 2014 será regido por Xangô, o orixá da justiça, pelas orixás femininas Oxum e Nanã, além de Iansã. Segundo mãe Dolores de Xangô, a mais famosa babalorixá de Saquarema, o ano será muito bom para a maioria, mas não para todos os políticos, porque Xangô é da justiça e tem muito o que cobrar. A eleição vai depender da honestidade; não adianta reclamar. Também será um ano de oportunidades e soluções, porque Xangô rege o dinheiro e a vida! As cores do ano são vermelho, de Xangô e Iansã, o amarelo ouro, da Oxum, e o lilás, de Nanã. Na Copa do Mundo, Felipão estará bem e o Brasil pode ganhar.

No final do ano passado, o dia 22 de dezembro de 2013 marcou os 25 anos do assassinato do líder Chico Mendes, símbolo da luta ambiental no Brasil. Nascido e morto em Xapuri, no Acre, Chico liderou a luta pela preservação da floresta Amazônica, ganhou fama nacional e internacional e recebeu vários prêmios, entre eles o Global 500, da ONU (Organização das Nações Unidas). É a maior referência na defesa do meio ambiente no país e considerado um dos 100 maiores brasileiros de todos os tempos.

Neste 2014 que se inicia, desejamos que no município haja mais diálogo entre os poderes públicos (Executivo, Legislativo e Judiciário) e os cidadãos. Que sejam ouvidas as queixas da população, como por exemplo: por que ainda não foram instalados redutores de velocidade na Avenida Ministro Salgado Filho, especialmente na altura do Boqueirão e Barra Nova, e na Rua 96, em Jaconé, onde os acidentes de carro têm feito inúmeras vítimas e causado prejuízos imensos neste verão? Foi a pergunta que um leitor me fez… e não pude responder. Como foi definido o preço do estacionamento, sem uma campanha de informação? Por que Jaconé insiste em ter barracas na entrada da Rua 96, nos feriadões, prejudicando o principal acesso do bairro? E finalmente, por que queimar a vegetação rasteira da Praia de Saquarema, pois nada justifica a destruição das “batateiras”, dos cactos e de várias espécies da restinga que forram de verde a faixa de areia entre o asfalto e o mar?

Apesar de tudo, que 2014 seja um ano de paz em Saquarema, com a benção de Nossa Senhora de Nazareth que protege a todos e a nós ilumina.

 

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.