Polo Industrial de Sampaio Corrêa

A grande promessa para o futuro econômico do município

O Polo Industrial de Sampaio Corrêa é a certeza de um futuro melhor para o município. (Fotos: Edimilson Soares)

O Polo Industrial de Sampaio Corrêa é a certeza de um futuro melhor para o município. (Fotos: Edimilson Soares)

Desde que Sampaio Corrêa perdeu a condição de mola propulsora do desenvolvimento municipal, os moradores locais nunca mais viram o futuro bater em suas portas. Com o declínio da produção açucareira da fazenda e Usina Santa Luzia, no final dos anos 70 e início dos anos 80, o progresso ficou na lembrança dos que participaram daqueles bons tempos, quando cerca de 3 mil trabalhadores chegaram a circular na localidade, nas mil e uma atividades, de colheita da cana ao comércio local, gerando uma economia sólida que alimentava toda Saquarema. Mas como tudo que é sólido também se desmancha no ar, a Usina acabou e com ela ficou um vazio enorme, durante anos, décadas a fio; um vazio que só agora, com o Polo Industrial começa a ser preenchido novamente.

Zé Machado mostra mais um terreno sendo preparado para receber uma nova indústria

Zé Machado mostra mais um terreno sendo preparado para receber uma nova indústria

Segundo o administrador do Polo Industrial, José Machado, a fazenda Tinguí, em toda sua extensão, antes de ser desapropriada para abrigar as atuais indústrias, empregava de 8 a 10 funcionários apenas. Hoje, só na parte desapropriada, que corresponde a cerca de 20% da área total da fazenda, as indústrias instaladas geram mais de 600 empregos. “E olha que muitas empresas ainda estão se instalando, várias estão sendo construídas e ainda há uma outra fazenda, a Ubás, do outro lado da Rodovia Amaral Peixoto, pronta para receber a segunda fase do Polo Industrial”, explica Zé Machado.

Com raízes no governo Dalton Borges, quando as primeiras empresas começaram a se instalar no local, o então chamado Condomínio Industrial teve como pioneira a fábrica de artefatos de cimento dos empresários Carlos e Ioneida, a Lajes Rocha, que desbravou o terreno onde não havia nem rua e colocou as primeiras manilhas para abrir caminho. Hoje, as principais ruas já estão asfaltadas e surgem indústrias por todo lado, não só dentro do Condomínio Industrial, mas em toda Sampaio Corrêa, como a gráfica Smart Printer, do empresário José Rodrigues, dono de um Parque Gráfico no Rio e que aqui já tem mais de 120 funcionários trabalhando em duas grandes impressoras rotativas.

Projeto estratégico do governo Franciane Motta, com apoio do dinâmico deputado Paulo Melo, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro e do governo do Estado, o Polo Industrial tem tudo para superar a glória dos velhos tempos da Usina. Agora, a realidade é outra e se expressa através das fábricas que já estão em funcionamento: Lux Brasil Indústria e Comércio de Fio e Cabos, Gypsteel Indústria de Perfilabos, Lansa Comércio de Ferro, Vitória Perfil Plástico, Sales Indústria de Alimentos (que envasa azeite Quinta d’Aldeia, óleo composto e azeite Sales), entre outras.

Daniela, 19 anos e Patrícia, 31, nascidas em Sampaio Corrêa, já estão trabalhando no Polo Industrial, na empresa WER, que fabrica embalagens descartáveis para os lanches da TAM

Daniela, 19 anos e Patrícia, 31, nascidas em Sampaio Corrêa, já estão trabalhando no Polo Industrial, na empresa WER, que fabrica embalagens descartáveis para os lanches da TAM

Só a Wer Indústria e Comércio de Plástico (que fabrica produtos descartáveis e kits de lanches para a companhia aérea TAM) emprega cerca de 200 funcionários. Já a fábrica Bom Doces, que funciona em Sampaio Corrêa, com mais de 70 funcionários, está construindo também no Condomínio Industrial. E estão quase prontas as instalações da Paper Box Indústria de Papelão, a Argan Tiles Pneus Remoldados, a Sistral Perfil de Alumínios e a Eva Power Confecções. Estão prestes a iniciar as obras a Sonetubos, a Fresk Massas, a Desk Fábrica de carteiras e mesa, a Sanfer Alumínio e mais uma fábrica de caixas de luz e conduítes. E fábricas, produtoras de grama, como a Itograss e a King Grass, talvez estejam preparando o tapete para a próxima Copa de Futebol, em 2014. É um mundo que começa a fazer a diferença no município e o renascer de Sampaio Corrêa, ponta de lança de Saquarema.

Nascido em Sampaio Corrêa,
o jovem Roger Gomes exalta o Polo Industrial

O empresário Roger agradecendo à prefeita Franciane, na festa do Dia do Trabalho, o sucesso do Polo Industrial, promessa de muitos empregos no município

O empresário Roger agradecendo à prefeita Franciane, na festa do Dia do Trabalho, o sucesso do Polo Industrial, promessa de muitos empregos no município

Nascido e criado no Terceiro Distrito, o jovem empresário Roger Gomes passa todos os dias pelo Pólo Industrial e não se cansa de ver o progresso chegando em sua terra. Para ele, Sampaio Corrêa é a grande promessa para um futuro melhor em Saquarema, é a certeza de empregos para a população, especialmente para a juventude que sofre com a falta de empregos.

“Felizmente tivemos privilégio de ter nascido em Saquarema e somos beneficiados pelas ações desse sábio e dedicado político que é o deputado Paulo Melo, além da sensibilidade da prefeita Franciane com o povo mais carente. Nós, do Terceiro Distrito, agradecemos o desenvolvimento que estamos vivendo. O Pólo Industrial é motivo de orgulho para todos nós que acreditamos que somente através do trabalho é possível promover ações que melhoram a vida das pessoas, através da cidadania, qualidade de vida e prosperidade”, diz Roger.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.