Embaixadoras da Água, mulheres em defesa dos recursos hídricos

A “Academia de Formação Embaixadoras da Água” reunida no XX Encontro Nacional de Comitês de Bacia, em Florianópolis (SC) (Foto: Arquivo/Jornal O Saquá)

Desde que foi criado o projeto “Plante Água”, da BPW (Business and Professional Women), em Porto Alegre (RGS), inspirado em uma parceria com o programa “Plant for the Planet” das Nações Unidas (ONU), 158 mulheres já foram capacitadas em 5 oficinas realizadas no Brasil. Criado pelo Comitê do Meio Ambiente da BPW, o projeto “Plante Água” gerou por sua vez a “Academia de Formação de Embaixadoras da Água”, realizada pioneiramente em 2017.
Em 2018, a BPW-Brasil, junto com a BPW International e em parceria com a Women for Water Partnership (WfWP), realizaram a “Academia de Formação Embaixadoras da Água” durante o 8º Fórum Mundial da Água, no espaço do “Fórum Cidadão”, em Brasília. A repercussão foi tão grande que resultou na formação da rede de “Embaixadoras da Água”, no WhatsApp, aproximando em tempo real as mulheres envolvidas no projeto, bem como medidas práticas de atuação no cotidiano.

No final do ano, houve mais uma edição da “Academia de Formação Embaixadoras da Água”, em Santa Catarina, por ocasião do XX Encontro Nacional dos Comitês de Bacia (ENCOB). No ano seguinte, durante o XXI ENCOB, em Foz do Iguaçu, Paraná, houve mais uma versão da “Academia de Formação Embaixadoras da Água”. E, em novembro, no XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (SBRH), a coordenadora do projeto, Yara Blochtein, participou da mesa redonda “Gênero em Recursos Hídricos: desafios e oportunidades”.

Nesses tempos de pandemia, a “Academia de Formação Embaixadoras da Água” está se adaptando às reuniões on line (Fotos: Redes Sociais)

A academia tem como propósito formar e capacitar mulheres “Embaixadoras da Água”, atuantes em ações cidadãs, visando o consumo sustentável da água e a proteção das matas ciliares dos rios, nascentes, lagos e outros corpos d’água. O ojetivo é sensibilizar e agir em prol da sustentabilidade, em todos as dimensões – econômica, ambiental, saúde, educação, artística, política – a partir da defesa da água e proteção ambiental, num processo contínuo de conscientização ecológica das mulheres/embaixadoras.

UM PROJETO E MUITAS AÇÕES

Percebendo a necessidade de consolidação da rede “Embaixadoras da Água”, uma nova etapa está sendo projetada agora, por um grupo liderado pela idealizadora do projeto e coordenadora do Meio Ambiente BPW-Brasil e América Latina, Yara Blochtein, pela professora da Universidade de Santa Maria (UFSM) e ex-presidente da Associação Brasileira de Hidrologia, Jussara Cruz, e pela professora da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e vice-presidente da ABRHidro, Synara Broch.

A “Academia de Formação Embaixadoras da Água” no Fórum Cidadão, durante o 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília (DF)

Para dar início a esta nova etapa, foi organizada uma reunião virtual das Embaixadoras da Água, a primeira da rede, em tempos de pandemia. O foco é reeditar novas Academias não só no Brasil mas também na América Latina, através de oficinas, bem como utilização da web para palestras e discussões on-line (webinar e/ou youtube live), visando mobilizar as mulheres, através do engajamento e adesão aos programas de incentivo para a população, na propagação de ações sustentáveis. Para concretizar essas metas, é preciso preparar material orientativo, para capacitação de multiplicadoras, num sistema de educação continuada.

Em setembro do ano passado, durante o IX Congresso Regional da BPW-América Latina, realizado em Quito, Equador, o projeto foi apresentado pela idealizadora Yara Blochtein, que recebeu convite da presidente da BPW Internacional, Amany Asfour, para implantar a nível mundial, para mais de 100 países, a “Academia Embaixadoras da Água”. Por essa iniciativa, Yara, a representante brasileira, recebeu o prêmio “Esforço Individual”.

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.