Filme “Confederação dos Tamoios: a última batalha” estreiou na OAB em Saquarema

O lançamento do filme sobre os Tamoios lotou o auditório da OAB, no centro de Saquarema (foto: Dulce Tupy)

Realizou-se no Auditório da OAB, em Saquarema, o lançamento do documentário “Confederação dos Tamoios, a última batalha”, do cineasta argentino/brasileiro Carlos Pronzato. O filme traz à memória o histórico episódio do século 16 quando, para enfrentar os colonizadores portugueses, diversas nações indígenas se uniram contra o invasor.

O documentário se desenvolve através de depoimentos de pesquisadores, escritores e indígenas sobre o tema. É uma verdadeira viagem aos tempos da sangrenta fundação do Brasil. A narrativa se insere nas lutas históricas e atuais, como uma metáfora sobre a resistência indígena, tanto nos ataques da época do colonialismo como no atual governo federal.

SAQUAREMA E MARICÁ

Carlos Alexandre, do Museu de Conhecimentos Gerais, e o diretor do filme Carlos Pronzato

Participam do filme o historiador José Ribamar Bessa, responsável pelo estudo dos aldeamentos no Estado do Rio de Janeiro; Rafael Freitas da Silva, autor do livro Rio antes do Rio; Paulo Luiz Oliveira, autor do livro Tamoios, Senhores do Litoral, cuja leitura inspirou o diretor Carlos Pronzato; o escritor Antônio Torres, imortal da Academia Brasileira de Letras, autor do romance Meu querido canibal; Ivan Cavalcanti Proença, Doutor em Literatura e especialista no poema épico A Confederação dos Tamoios, de 1854, de Domingos Gonçalves de Magalhães; o escritor e jornalista Sérgio Caldieri, vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, entre outros pesquisadores e ativistas indígenas como a escritora Eliane Potiguara, fundadora do GRUMIN, Grupo Mulher Educação Indígena, e José Urutauhu Guajajara, da Aldeia Maracanã.

Depois de lançado no auditório da OAB, em Saquarema, o documentário também foi apresentado em Maricá. Além de cineasta, Carlos Pronzato é diretor teatral, poeta e escritor. Suas obras audiovisuais e literárias destacam-se pelo compromisso com a cultura, a memória e as lutas populares. Dentre seus mais de 70 documentários, destacam-se “Bolívia, a guerra do gás”, “Madres de Plaza de Mayo, verdade, memória e justiça”, “Mapuches, um povo contra o Estado”, “Marighella, quem samba fica, quem não samba vai embora”, “1917, a Greve Geral”, “Mestre Moa do Katendê, a primeira vítima”, “Calabouço, um tiro no coração do Brasil” e outros.

No final, uma foto com parte do público que fez questão de posar com o cineasta Carlos Pronzato (Foto: Rafael Daguerre)

COLECIONANDO PRÊMIOS

Por sua obra, Carlos Pronzato recebeu importantes prêmios como o CLACSO (Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais) em 2008, o prêmio Roberto Rossellini na Itália em 2009, o prêmio Liberdade de Imprensa do jornal Tribuna de Imprensa Sindical, no Rio de Janeiro, e recentemente o prêmio de Melhor Filme na Mostra Juventudes, no 7º Festival Ver e Fazer Filmes de Cataguases (MG), pelo documentário “Lama, o crime vale no Brasil, a tragédia de Brumadinho”.

O autor, a jornalista e o presidente da OAB, Miguel Saraiva

Com roteiro e direção de Carlos Pronzato, o documentário “Confederação dos Tamoios: a última batalha” foi filmado em Saquarema, Cabo Frio, Maricá, Niterói e Rio de Janeiro, com produção da jornalista Dulce Tupy, editora do jornal O Saquá, e editado por Rafael Daguerre, no Rio. As cópias em DVD custam R$ 30,00 e já podem ser encomendadas pelo Whatsapp: 21 979957981. O depósito deve ser feito em nome de Carlos Jorge Pronzato, CPF 512.741.245-49, no Banco do Brasil, Agência 0346-8, Conta Corrente 222.567-0, ou Caixa Econômica, Agência 1018-013, Conta Corrente 6554-7. O catálogo completo de filmes e livros de Carlos Pronzato se encontra no site: lamestizaaudiovisual.com.br.

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.