‘‘O bom também é notícia’’

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

Faz tempo… muito tempo… precisamente na década de 90, escrevi crônicas para o Rádio, para a seção “O BOM TAMBÉM É NOTÍCIA”, do programa “Ponto de Encontro”, do radialista Jorge Elias. Isso porque, já naquela época, a mentalidade dominante era de que a boa notícia, a bela notícia não vendiam jornal ou não davam IBOPE nos telejornais… Assim, as “manchetes” eram sempre trágicas ou violentas… Isso sim, chamava a atenção do leitor ou do espectador…

E pelo que vejo, essa mentalidade continua a predominar nos jornais e meios de comunicação. Com isso, as notícias que poderiam tornar nossos dias mais felizes são secundárias e quase nunca publicadas… Quando isso vai mudar? Quando vai ser diferente? Tão bom seria se começássemos o dia estimulados pelas boas notícias, que nos alegram e dão alento ao coração… E que não precisam nem ter muita importância… bastando que despertem ou conservem em nós, a alegria de viver uma vida melhor… Por isso, fiquei feliz com a notícia publicada em “O Globo”, de 15/06/19, que nos informou: “Para melhorar astral da cidade, advogado cria borboletário na Lagoa”. Isso mesmo: “o advogado Heitor Wegmann, morador do Jardim Botânico, resolveu plantar, perto do espelho d’água, canteiros com flores nativas da Mata Atlântica brasileira. A ideia de dar mais cor e vida ao trecho perto da ciclovia, acabou tendo um efeito “colateral” do bem: a área virou um verdadeiro borboletário.” E eis as palavras inteligentes de Heitor Wegmann: – “Queria um pouco de flor. Minha ideia é inspirar as pessoas para que se apoderem da cidade, que façam alguma coisa, parem de só reclamar. Gostaria que elas aderissem a essa iniciativa. A cidade é nossa. As borboletas aparecem a todo instante e abelhas também”…

Concordam que depois de lermos uma notícia dessas começamos o dia mais alegres e felizes?
A propósito, lembro de uma frase de KAHLIL GIBRAN que vem a calhar: “Se você cantar a beleza, / mesmo sozinho, / no coração do deserto, / terá audiência.”

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.