19 anos de jornalismo combativo e profissional

Editorial - Dulce Tupy

O jornal O SAQUÁ completou 19 anos no final de julho, quando lançou o seu número zero, iniciando uma trajetória bem-sucedida. Em 19 anos, o jornal O SAQUÁ nunca deixou de sair em um único mês e, religiosamente, entregou a seus leitores as notícias mais importantes do município, tanto na área urbana como na rural.

É como as pessoas comuns dizem: “o nosso ‘jornalzinho’ está em todos os cantos”, falam carinhosamente, sobre o jornal que eles abraçaram. “A gente encontra o jornal O SAQUÁ em tudo quanto é canto, em todos os bairros”, afirmam eles. Com uma distribuição em bancas e nas lojas de nossos anunciantes, além dos principais órgãos oficiais, Prefeitura e Câmara, o jornal circula de mão em mão e tem alguns leitores abnegados.

CREDIBILIDADE

Esta é a evidência do prestígio do jornal O SAQUÁ, num município com tantas pessoas sem o hábito da leitura. Muitos dos nossos leitores não leem praticamente nada, a não ser o próprio jornal O SAQUÁ, o que nos honra muito! Outros fazem a coleção completa e nos solicitam números atrasados, por exemplo.

Há os que reclamam quando o jornal não sai na data prevista, sempre no início de cada mês. E os que admiram a qualidade da edição, sempre com assuntos relevantes, seja na política, meio ambiente ou no cotidiano da cidade.
O jornal O SAQUÁ é um patrimônio da cidade. E ocupa seu lugar de destaque em exposições realizadas na Casa da Cultura Walmir Ayalla, quando completou 15 anos, no plenário da Câmara Municipal, e na recente mostra que inaugurou a Galeria José Carlos Cabral, entre outros documentos históricos.

PLURALIDADE

Com uma equipe pequena, mas extremamente capaz, o jornal chegou a ter 20 páginas, antes da crise atual. Chegou a ter apenas 8 páginas, sendo 4 coloridas. Isto porque o custo gráfico é altíssimo e o comércio local não dá conta de financiar todas as despesas. Por sua vez, o Poder Público, tanto municipal como estadual, não valoriza a prata da casa e prefere anunciar em outras mídias: rádio, outdoor, etc.

Mas, graças aos nossos anunciantes fiéis, o jornal sobrevive, cumprindo sua função social de informar, não só no impresso mas também nas redes sociais (facebook e Instagran), acompanhando a tendência mundial. E nós continuamos no impresso, porque consideramos essencial para o nosso público e porque acreditamos que o impresso não vai acabar… ainda.

Comunicação é uma função social. Sem liberdade de imprensa não há democracia. Por isso, o jornal O SAQUÁ abriga várias tendências políticas, praticadas pela nossa linha editorial e nas colunas dos nossos diversos colaboradores. Nas páginas do jornal O SAQUÁ, circulam várias ideias e ideais, abordando aspectos diversos da sociedade, alguns até antagônicos.

Mas dentro da nossa democracia interna, cabe tudo! Ou quase tudo! Cabem todas as religiões e costumes. Temos divulgado praticamente todas as igrejas, eventos e partidos políticos locais, cumprindo com o nosso objetivo de ser plural.

Assim, continuamos nosso caminho, rumo aos 20 anos de existência. O SAQUÁ: Ano XX! Já estamos vivendo esta realidade e, neste mês, com 12 páginas e mais dois colaboradores, o chargista – ex-jornal O Dia – Ykenga e o radialista Márcio Motta, cria da terra, que está de volta. Tudo para beneficiar nossos leitores.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.