O Saquá 235 – Chamadas de Capa

Quer folhear as páginas do jornal O SAQUÁ
Edição de Abril de 2019 (edição 235)?
Fique à vontade… Clique nas páginas para ampliar

 

 

 

Nos seus 60 anos, o Centro Social Madre
Maria das Neves tem muito a comemorar

O Centro Social Madre Maria das Neves foi a primeira a Casa de Caridade do município, em frente à Praça Oscar de Macedo Soares, no centro de Saquarema

A capa do livreto que conta a história do Centro Social Madre Maria das Neves

O Centro Social Madre Maria das Neves completou 60 anos de atividades sociais em Saquarema. Situado no centro, em frente à Praça Oscar de Macedo Soares, é um prédio histórico e uma referência na cidade. Na verdade, Madre Maria das Neves estaria fazendo 100 anos, desde que iniciou sua obra na antiga Casa de Caridade, onde ela foi enfermeira, administradora e catequista. Vinda para Saquarema em 1987, Madre Maria das Neves permaneceu no município até 1901, quando foi cortada a verba de manutenção e ela teve que ir junto com outra irmã para Campos, onde faleceu anos depois. O Centro Social, renascido no final dos anos 50, é um espaço de caridade e educação infanto-juvenil. A data foi comemorada em dois eventos, o lançamento de um livreto com a história da instituição e uma Missa Solene, com bispos e padres convidados.
Páginas 6 e 7

 

Mulheres na ditadura

O livro da historiadora Maria Cláudia Badan Ribeiro, “Mulheres na luta armada, protagonismo feminino na ALN (Ação Libertadora Nacional), é uma brochura de 572 páginas. Com análise da participação das mulheres na resistência à ditadura e depoimentos das militantes em vários estados, mas principalmente Rio de São Paulo, onde a ALN (Aliança Libertadora Nacional) teve maior presença, Maria Cláudia destaca a rede de solidariedade feminina que se formou no apoio às ações guerrilheiras. São mulheres que fizeram a diferença entre a vida e a morte dos combatentes.
Pagina 3

 

Ex-deputados julgados no TRF no Rio

Os deputados Jorge Picciani, Edson Albetassi e Paulo Melo foram julgados pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região e foram condenados a vários anos de reclusão, multa e devolução de propina aos cofres públicos. Os três foram denunciados por corrupção passiva e organização criminosa, sendo que Picciani também foi julgado por lavagem de dinheiro. Juntos, eles teriam embolsado mais de R$ 100 milhões. Paulo Melo ganhou a menor pena, pouco mais de 12 anos, Albertassi, 13 anos e Picciani, 21 anos. Também foram condenados, no mesmo dia, outros 11 acusados.
Página 3

 

Represa de Juturnaíba na mira do Ministério Público

A Represa de Juturnaíba está na mira do Ministério Público, desde que o Movimento Baía Viva denunciou duas pilhas de rejeitos de alumínio (lixo químico) nas margens, com risco de contaminação das águas de abastecem 8 municípios da Região dos Lagos. A Prolagos, responsável pelo monitoramento e conservação da represa, foi multada pelo ICMbio, Instituto Chico Mendes, do Ministério do Meio Ambiente, e pela Agenersa, a agência reguladora dos serviços de abastecimento de água no Estado do Rio de Janeiro.
Página 4

 

 

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.