Chico Mendes, um homem, um guerreiro, uma lenda

Chico Mendes, do Acre para o mundo (Foto: Internet)

Seringueiro, sindicalista, ativista político e ambientalista brasileiro, Chico Mendes lutou a favor dos povos da floresta Amazônica, protegendo as seringueiras nativas. Seu ativismo lhe trouxe reconhecimento internacional, mas provocou o ódio dos fazendeiros locais. Após a sua morte mais de 30 entidades — sindicalistas, religiosas, políticas, de direitos humanos e ambientalistas — se reuniram para formar o Comitê Chico Mendes, que exigia que os autores do crime fossem punidos. Em dezembro de 1990, a justiça condenou Darly Alves da Silva e seu filho, Darcy lves Ferreira, a 19 anos de prisão. No entanto, os dois fugiram da cadeia em fevereiro de 1993, sendo capturados posteriormente. Darly e Darcy cumpriram, ao todo, menos de 10 anos da pena.

RECONHECIMENTO

Em 1989 o Grupo Tortura Nunca Mais, destacada ONG brasileira de defesa dos direitos humanos, criou o prêmio Medalha Chico Mendes de Resistência, uma homenagem a Chico Mendes e pessoas ou grupos que lutam pelos direitos humanos no país. Também em 1989 o ex-beatle Paul McCartney lançou a faixa “How Many People”, em homenagem ao seringueiro, no álbum Flowers in the Dirt. O compositor Clare Fischer, que havia fornecido os arranjos orquestrais para o álbum de McCartney, dedicou a faixa “Xapuri”, de seu álbum Lembranças (Remembrances), lançado no mesmo ano, à memória de Chico Mendes.

Diretores do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro no Centro de Memória Chico Mendes, em Xapuri, no Acre

Pepeu Gomes, guitarrista brasileiro, também nesse mesmo ano lançou a música “Amazônia” de seu álbum “Instrumental On The Road” dedicada a Chico Mendes. Em 1994, a HBO transmitiu o premiado telefilme The Burning Season, que narra as lutas do seringueiro e tem Raúl Juliá no papel de Chico Mendes. No ano seguinte, o grupo mexicano de rock Maná homenageou Mendes na faixa “Cuando los Ángeles Lloran”, no álbum homônimo. E em 1996 foi a vez da banda de heavy metal brasileira Sepultura homenagear o seringueiro com a faixa “Ambush”, no álbum Roots. Em 2007, a então ministra do meio-ambiente Marina Silva criou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela gestão do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

ANISTIA

Em 10 de dezembro de 2008, a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça aprovou, em Rio Branco, a condição de perseguido político de Chico Mendes, o que garante à família receber uma indenização. Ainda hoje, Chico Mendes é reconhecido como um dos maiores brasileiros de todos os tempos. Seu nome aguarda inscrição no Panteão da Pátria e da Liberdade em Brasília desde 2004] e, em julho de 2012, foi eleito o 28° maior brasileiro de todos os tempos em votação realizada pelo SBT.

Em Rio Branco, no Acre, a homenagem a Chico Mendes na Biblioteca da Floresta (Foto: Dulce Tupy)

Chico Mendes também faz parte do calendário de santos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil como testemunha profética, sendo sua festa litúrgica comemorada no dia de sua morte, 22 de dezembro. Em 2013, uma nova espécie de pássaro, cujo nome Zimmerius chicomendesi, é uma homenagem a Chico Mendes. Em 15 de dezembro de 2015, a empresa Google o homenageou com um doodle. Em Niterói, o Sindicato dos Jornalistas do Estado do Rio de Janeiro criou o Prêmio Chico Mendes de Jornalismo Ambiental.

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.