O XX Encontro Nacional de Comitês de Bacias discutiu o futuro da água

Na abertura do evento, o presidente do CBH-São Francisco, Anivaldo Miranda, fez um discurso considerado o mais importante do evento apontando para a necessidade de comunicação dos Comitês com os cidadãos

Florianópolis, capital de Santa Catarina, abrigou o XX Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas (XX ENCOB), que se realizou entre 20 e 24 de agosto, no Centro de Eventos Governador Luiz Henrique, com o tema “O Futuro da Água”. A programação incluiu palestras, mesas redondas, debates, oficinas e apresentações de casos, para um público de mais de mil pessoas, representantes de órgãos governamentais, da sociedade civil e usuários da água, integrantes dos comitês de bacias hidrográficas, estaduais, federais e transfronteiriços (bacias que abrangem mais de um país).

A questão da transparência foi um dos temas mais debatidos durante a plenária que reuniu especialistas, entre eles o Dr. José Alexandre do MP-RJ

O objetivo foi reunir os agentes sociais que compõem a comunidade da água, que atuam na gestão integrada e participativa dos recursos hídricos, como foi preconizada pela Lei 9433, a chamada Lei das Águas. Com olho na sustentabilidade dos recursos hídricos, o XX ENCOB discutiu os cenários futuros dos recursos hídricos no Brasil, destacando a importância da comunicação que intervem na mobilização da população em geral, e interfere diretamente na saúde dos mais carentes, vítimas das doenças transmitidas pela água. O encontro apontou também os compromissos e responsabilidades dos entes do Sistema Nacional de Recursos Hídricos, a necessária integração das políticas públicas (federal, estaduais, regionais e municipais), na implementação de programas e serviços que tragam a recuperação e conservação dos recursos hídricos.

Reunião da sociedade civil debateu a diversidade no contexto das águas, entre elas a participação de jovens e mulheres, entre outras minorias

Sendo um estado pioneiro na criação dos primeiros Comitês de Bacias Hidrográficas no Brasil, Santa Catarina sediou pela segunda vez o ENCOB. Hoje com 16 comitês de bacia, o estado já tem todos os seus principais rios enquadrados em comitês de bacia, administrados por agências de bacia, com contratos renovados feitos através de editais, de 3 em 3 anos, ou seja com a maior transparência possível. O próximo ENCOB será no Paraná, em Foz do Iguaçu, que recebe também pela segunda vez este que é, sem dúvida, um dos maiores encontros sobre recursos hídricos no país. O evento foi promovido pelo Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, com apoio da Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas e patrocínio da Agência Nacional de Águas (ANA), do Ministério do Meio Ambiente, Governo Federal.

 

Oficina Embaixadoras da Água

As embaixadoras que promoveram com brilhantismo o evento

Pela primeira vez o ENCOB, Encontro Nacional dos Comitês de Bacias Hidrográficas, abriu um espaço nobre para a discussão sobre Água e Gênero, que aborda a importância da participação da mulher na gestão dos recursos hídricos. O XX ENCOB destinou à Oficina Água e Gênero: Embaixadoras da Água, um anfiteatro inteiro para abrigar a proposta de uma sensibilização sobre o necessário cuidado no uso e preservação da água, do ponto de vista das mulheres. A Oficina possibilitou conhecimento técnico a respeito das dimensões relacionadas à água: científico, social, ecológico e legal, apontou para mudanças de comportamento, com a mulher assumindo papel de protagonista em ações direcionadas ao uso sustentável da água e sinalizou aos Comitês de Bacias a necessária formulação de um conjunto de propostas que permitam construir uma agenda de água e gênero para a gestão das águas, em todos os níveis de atuação. Voltada para a capacitação de mulheres interessadas e atuantes no tema Água e Gênero, a oficina Embaixadoras da Água foi coordenada por Yara Blochtein, coordenadora de Meio Ambiente da Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais-BPW Brasil (Business Profecional Women) e Women for Water Partnership, que juntas reúnem mulheres associadas em cerca de 100 países. O evento teve a coordenação geral de Zeide Furtado, presidente da BPW Araçatuba-SP e vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Baixo Tietê. Pela manhã, a Dra. Eldis Camargo deu uma aula magna, sobre “Gestão dos Recursos Hídricos’’.

Gênero, Água, Cidadania e Ética

As Embaixadoras da Água posando para a posteridade no final do evento pioneiro no XX Encob uma oficina em que as mulheres são protagonistas

Fizeram parte da magnífica aula da Dra. Eldis, na Oficina Embaixadoras da Água, aspectos científicos, sociais, ecológicos e legais da água, incluindo “Gênero e água no contexto do meio ambiente, cidadania e ética”. A Dra. Eldis trabalhou nos últimos anos na Agência Nacional de Águas e pretende agora se dedicar ao ensino acadêmico em São Paulo.

Na parte da tarde, a Dra. Daniela Nogueira coordenou a roda de diálogos sobre “Perspectivas e Desafios das Mulheres como Agentes de Mudança no Setor Hídrico”. As convidadas e o único convidado para o painel foram: Margarida Yassuda, vice-presidente da Wonen for Water Partnership, Dra. Eunice Cruz, presidente BPW-Brasil, Jennifer Iverson, da Water.org, Lupércio Ziroldo, presidente da REBOB (Rede Brasileira de Organismos de Bacia) e Dra. Sandra Kishi, Procuradora Regional da República do MPF (Ministério Público Federal), que apresentou o Programa Conexão Água, de compensação ambiental.

Embaixadoras da Água é um programa de capacitação para mulheres, visando multiplicar e disseminar ações sustentáveis de consumo consciente da água, de preservação dos recursos hídricos e matas ciliares, pretendendo assim fortalecer a conscientização ecológica da mulher. Implantado em outubro de 2017, na cidade de Porto Alegre/RS o programa foi posteriormente apresentado na ANA (Agência Nacional de Águas), em Brasília, e na Women for Water Partnership, na Bulgária e em Milão.

No 8º Fórum Mundial da Água, realizado em março, em Brasília, a Academia Embaixadoras da Água teve uma edição especial na Vila Cidadã, com representantes de vários países, entre elas a maioria de mulheres que vieram de todo o Brasil. Com o objetivo de desenvolver um conjunto de conhecimentos sobre a água, a Academia Embaixadoras da Água é voltada para a capacitação de mulheres que se transformem em multiplicadoras de ações de preservação da água. Cada embaixadora terá como missão a disseminação de ações para o consumo consciente e sustentável da água, promovendo ações de preservação dos recursos hídricos e matas ciliares que protegem as águas, fortalecendo assim a inserção ecológica da mulher no mundo.

 

 

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.