Fundamentos do Fascínio do Futebol-Arte

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

Quando esta crônica for publicada, estaremos, ainda, em plena COPA MUNDIAL DE FUTEBOL/2018, e grande parte deste planeta estará mergulhada na paixão do futebol, inclusive nós, povo brasileiro, que tem, salvo raras exceções, essa paixão em seu DNA…

Em palestra anteriormente proferida e repetida no final de junho passado, na Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa, resumidamente abordamos os FUNDAMENTOS DO FASCÍNIO DO FUTEBOL – ARTE, a que, em tantos momentos tem alcançado a Seleção Brasileira, ao longo do tempo…

1º FUNDAMENTO DO FASCÍNIO: A BOLA. Há quem diga que futebol é bola. Mas para Nelson Rodrigues, “não há juízo mais inexato, mais utópico, mais irrealístico. Pensar assim é esvaziar o futebol como um pneu; é retirar do futebol tudo o que ele tem de misterioso e patético. (…) Em futebol, o pior cego é o que só vê a bola… Se o jogo fosse só a bola… mas há o SER HUMANO por trás dela, e digo mais: A BOLA É UM RELES, UM ÍNFIMO, UM RIDÍCULO DETALHE”…

2º FUNDAMENTO: O CRAQUE. Tostão, herói do Tri, resumiu a questão: “Para mim o craque não tem explicação, ele é.”

3º FUNDAMENTO: O PASSE. Penso que a capacidade de dar passes oportunos e precisos, esteja diretamente ligada à capacidade de ser generoso, solidário. O Futebol é um esporte coletivo e o passe, um ato de cessão. O jogador cede a bola e a vez. Armando Nogueira fez referência aos magníficos PASSES DE CURVA que Didi dava e que acabavam sempre nos pés de Pelé, Garrincha ou Vavá, “Passes esquivos e dissimulados como o olhar de Capitu”, caracterizou o saudoso cronista.

4º FUNDAMENTO: O DRIBLE – que é puro mistério, talento, criatividade. O drible é plástico, lúdico, sedutor. “Quero para sempre, o drible de Garrincha, o maior e melhor driblador que conheci. Ele matava a gente de rir. Garrincha era Chapliniano. (…) O drible de Garrincha era sempre, uma aula de meninice”, escreveu ainda Armando Nogueira.

5º FUNDAMENTO: O GOL. O gol é um grito sem-fim de amor-e-dor: Gooooool! Mas não nos esqueçamos que o gol que glorifica o artilheiro é o mesmo que mortifica o goleiro: cara e coroa: faces da mesma moeda.

6º FUNDAMENTO DO FASCÍNIO: AS INVENÇÕES BRASILEIRAS. A “bicicleta” foi a jogada que inaugurou o poder de sedução do futebol brasileiro. Seu autor? Leônidas da Silva, “o diamante negro”… Ainda para Armando Nogueira, “o povo que é capaz de inventar movimento tão ousado e tão bonito, um dia acabaria por inventar, também, “o gol de letra”, a “folha seca”, a “embaixada”, a “pedalada” (diríamos nós) e outros floreios que dão ao nosso futebol uma graça que só ele tem”.

Uma vez mais a SELEÇÃO BRASILEIRA disputa a Copa Mundial. Se vencerá ou não, ainda não sabemos, porque FAVORITOS também podem perder… mas o mínimo que se pode esperar dela é que jogue um futebol à altura da sua tradição, da sua arte, do seu fascínio – ganhando ou perdendo. De preferência, ganhando! …

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.