Realizado em Brasília o 8º Fórum Mundial da Água

A grande inovação no 8° Fórum foi a participação de membros do Poder Judiciário, entre eles a procuradora-geral Rachel Dodge e a ministra Carmen Lúcia do Supremo Tribunal Federal na mesa de debates (Foto: Dulce Tupy)

Com um público de mais de 120 mil pessoas de 172 países e com a presença de 12 chefes de estado, o 8° Fórum Mundial da Água realizou-se durante 7 dias em Brasília, sendo o maior da história, desde sua primeira versão em 1997, no Marrocos. O evento colocou a água no topo da agenda política no mundo, avançando na direção dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) proclamados pelo ONU (Organização das Nações Unidas), que deverão ser alcançados até o ano de 2030. Nos ODS, a água corresponde ao objetivo número 6: assegurar água potável e saneamento para todos. Um desafio que requer um diálogo compartilhado, permanente e de alto nível.
Afinal, a água é o tema mais importante para o futuro da humanidade, pois, embora 70% da superfície da Terra seja coberta de água, somente 2% é de água doce, além do gelo nas calotas polares. Calcula-se que, em 2030, a população mundial deverá ser de 8,5 bilhões de pessoas. E, se atualmente já estamos vivendo uma época de escassez de água, com cerca de 800 milhões de pessoas sem fonte de água limpa, o déficit de água doce do planeta só tende a crescer, tornando a água, no século 21, um recurso tão caro como foi o petróleo no século 20.

Em sua 8ª edição, o Fórum Mundial da Água teve uma importante inovação: a participação do Poder Judiciário, instância em que cabe a decisão final sobre disputas envolvendo os recursos hídricos. A Conferência de Juízes e Promotores teve a presença de 83 juízes, promotores e especialistas de 57 países e emitiu como documento final a “Carta de Brasília”. Já o Instituto Global do Ministério Público, que reúne membros de ministérios públicos de diversas nações do mundo em torno de temas ligados à proteção dos recursos naturais, também elaborou a “Declaração do Ministério Público sobre o Direito à Água”, assinada por 9 países. Na Conferência Parlamentar, 134 parlamentares de 20 nações produziram o “Manifesto dos Parlamentares”, em que reconhecem a importância de garantir a segurança hídrica, universalização do acesso a água potável, eliminação das desigualdades e promoção do desenvolvimento sustentável. A Conferência de Ministros contou com 56 ministros e 14 vice-ministros de 56 países, que aprovaram a declaração “Chamado urgente para uma ação decisiva sobre a água”, um documento que estabelece ações prioritárias para enfrentar os desafios do acesso à água e ao saneamento. O fórum teve ainda a participação de 150 prefeitos, governadores e deputados estaduais, que se comprometeram com um futuro sustentável, no qual todas as pessoas terão acesso à água e saneamento, num ambiente saudável para as gerações futuras.

FÓRUM CIDADÃO

Nunca se falou tanto sobre água. Além das conferências oficiais realizadas no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, também se realizou uma exposição e uma feira, em duas tendas gigantescas no estacionamento do Estádio Mané Garrincha, com 87 expositores, entre eles a Agência Nacional de Águas, entre outros estandes nacionais e internacionais, empresas públicas e privadas, organizações e associações da sociedade civil. Em Brasília, houve também atividades esportivas e culturais, mostra de cinema e atividades ligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Na terceira tenda, no Estádio Mané Garrincha, a Vila Cidadã recebeu mais de 105 mil pessoas, sendo cerca de 40 mil crianças. Sucesso absoluto de público, a Vila Cidadã inovou com atividades interativas, experiências de realidade virtual, oficinas e filmes, além de importantes debates sobre crise hídrica, saneamento e gestão participativa das águas, abrindo espaço aos jovens, mulheres, indígenas, organizações não governamentais e comunidades rurais.

Durante uma semana, Brasília foi a capital mundial da água, que ganhou a relevância que merece no debate público e político no Brasil e no mundo. O 8° Fórum Mundial da Água foi organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC), Ministério do Meio Ambiente (MMA), Governo do Distrito Federal e Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), com patrocínio da Petrobras, Funasa, Caixa, Fundação Banco do Brasil, Eletrobrás, Sabesp, Coca-Cola, AMA (Ambev), BNDES, Itaipu Binacional e BRK Ambiental, com apoio do Banco do Brasil.

As 7 edições anteriores foram realizadas em Marrakesh (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Kyoto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coreia do Sul, 2015). O próximo fórum será no Senegal, em 2021.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.