CEDIM/RJ – O desafio da Gestão 2018-2022

O CEDIM/RJ – Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Rio de Janeiro, a partir de 2018, tem novas conselheiras da Sociedade Civil, representantes de entidades, eleitas por processo eleitoral, conforme Edital publicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. O resultado da eleição das novas conselheiras obedece ao novo Regimento Interno do CEDIM/RJ, uma conquista do mandato que ora termina, depois de muitos anos de luta para a necessária reformulação, que permite alternância na Presidência entre Governo e Sociedade Civil, além de garantir a suplência por entidade, coisas que não aconteciam.

Assim, agora, a Sociedade Civil está representada no CEDIM/RJ por 17 entidades, cada uma com uma titular e uma suplente, totalizando 34 conselheiras, eleitas por maioria de votos, em Assembleia Geral Ordinária, realizada em 19/12/2017. A eleição do CEDIM/RJ para a gestão 2018-2022 foi presidida pela presidente Cristiane Lobo Lamarão, que distribuiu as cédulas de votação com os nomes das 22 entidades consideradas aptas pela Comissão Eleitoral.

O resultado da eleição, realizada na sede do CEDIM, foi o seguinte: Primeiro bloco (entidades feministas e femininas, que têm objetivo de luta em defesa dos direitos das mulheres e entidades mistas – 10 vagas): Associação de Mulheres Empreendedoras Acontecendo em Saquarema (AMEAS), Federação de Mulheres Fluminenses, Fórum Estadual de Mulheres Negras do Rio de Janeiro, Fórum de Prevenção à Violência contra a Mulher do Sul Fluminense, Fórum Feminista do Rio de Janeiro, Ilê Omulu e Oxum, Movimento de Mulheres de São Gonçalo, União de Negros pela Igualdade (UNEGRO), União Brasileira de Mulheres (UBM), União da Juventude Socialista (UJS). Segundo bloco (partidos políticos – 3 vagas): Partido Comunista do Brasil/RJ (PCdoB|), Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Terceiro bloco (sindicatos – 2 vagas): Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Central Única dos Trabalhadores (CUT). Quarto bloco (instituições de pesquisa em gênero e universidades – 2 vagas): Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM) e Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Foram eleitas as 17 entidades entre as mais votadas de cada bloco.

Diante do atual quadro do Estado do Rio de Janeiro em relação aos retrocessos nas políticas públicas para mulheres e em relação à garantia da estrutura para o pleno funcionamento do CEDIM/RJ, há sinalização das lutas que esperam tanto o coletivo de Conselheiras representantes das entidades eleitas quanto os movimentos feministas e de mulheres do nosso estado. Precisamos nos unir! Comecemos por um 8 de Março, Dia da Mulher, em 2018 construído coletivamente, mostrando que JUNTAS SOMOS MAIS FORTES!

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.