Volta Mangue!

Reflorestamento das margens da Lagoa de Saquarema

As mudas do mangue foram fincadas no fundo da lagoa e amarradas em bambus (Foto: Edimilson Soares)

O feriado de 2 de novembro foi escolhido para fazer um plantio de mudas de mangue na Lagoa de Saquarema, por ser uma data que celebra os que já se foram e que celebrou o renascimento, através do reflorestamento. O local escolhido foi entre a Praça da Terceira Idade e a Colônia de Pescadores, no centro da Vila. O evento aberto ao público recrutou crianças, adolescentes, moradores, idosos, pais, mães, amigos, desconhecidos e curiosos que colocaram 200 estacas de bambu na beira da lagoa e, em cada estaca, foi plantada uma muda, amarrada com barbante.
Promovido pela Zoé, empresa criada pelo casal Jonas e Babí, duas pessoas comprometidas com o desenvolvimento sustentável que vieram morar em Saquarema, o replantio do mangue teve o propósito de recuperar áreas degradadas no entorno da lagoa. Marca de surfwear, que produz camisetas e outros produtos inspirados em Saquarema, a Zoé decidiu que cada peça vendida da Coleção Vila720 corresponde ao plantio de uma árvore de mangue, um ecossistema costeiro conhecido como berçário, que tem as condições ideais para alimentação, proteção e reprodução de muitas espécies de animais marinhos.

O complexo lagunar de Saquarema é formado por 4 lagoas, a de Jacarepiá (água doce) em Vilatur; a Lagoa Vermelha (salobra), no Parque Estadual da Costa do Sol, a Lagoa de Saquarema formada por 3 grandes laminas d’água (salobra), e a lagoa de Jaconé (também salobra). Todas as lagoas de água salobra do município, já foram circundadas por densa vegetação de mangue, mas atualmente existe menos de 30% dessa cobertura, devido à degradação acelerada dos mangues, pela falta de tratamento de esgotos que desembocam nas lagoas através dos rios, falta da mata ciliar e, principalmente, pelo crescimento desordenado nas margens da lagoa, nos bairros do Jardim, Mombaça, Porto da Roça, Gravatá, Boqueirão, Coqueiral, Barra Nova, Manitiba e Jaconé, entre outros.

A falta de cuidado com os poucos pontos onde ainda existe manguezais tem sido crucial para o desaparecimento desse ecossistema tão importante para a região, uma vez que a cidade abriga gerações de pescadores artesanais que vivem dos peixes e crustáceos da lagoa e é conhecida pela cultura e culinária caiçara que estão desaparecendo junto com os manguezais saquaremenses. Mais informações sobre o projeto: site www.vidazoe.com.br ou instagram IG @vidazoe.com.br. No site tem um blog (https://www.vidazoe.com.br/blog) com detalhes sobre a criação, fontes de inspiração, projetos ambientais e o dia-a-dia da Zoé.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.