O Saquá 211 – Chamadas de Capa

 

Quer folhear as páginas do jornal O SAQUÁ
Edição de Abril de 2017 (edição 211)?
Fique à vontade… Clique nas páginas para ampliar!

 

 

 

Pescadores retirados da margem da lagoa

Os barquinhos coloridos davam um toque especial à paisagem que é uma pintura (Foto: Edimilson Soares)

P escadores de Saquarema foram surpreendidos com um aviso que tinham que retirar suas embarcações até o início de abril da margem da Lagoa de Saquarema. O local, na descida da ponte Darcy Bravo, é um atracadouro histórico com mais de 100 anos. Os barcos na margem da lagoa sempre foram um cenário pitoresco na paisagem da cidade. O que se fala agora é que o despejo foi feito para construir um cais, cujo projeto não foi apresentado até agora aos pescadores e nem aos moradores do centro, os mais interessados. É mais um ato de descaracteriza- ção do município que já perdeu as suas principais referências na arquitetura da cidade. Página 3

 

Vereadora Elisia Rangel é a primeira secretária da Câmara

A primeira secretária da Câmara, Elisia Rangel, em ação (Foto: Claudio Motta)

A vereadora Elisia Rangel é a primeira secretária da Câmara Municipal, um cargo estratégico e cheio de responsabilidades. Mas para a assistente social Elisia, que veio de Maricá para Saquarema em 1997, nada parece difícil. Elisia come- çou a trabalhar na Secretaria de Saúde, tornando-se mais tarde secretária municipal de Desenvolvimento Social. Hoje, na Primeira Secretaria da Câmara, vem se destacando com seu estilo de administrar com disciplina e suavidade. Página 3

 

O internacional Fernando Pacheco em Saquarema

Fernando com a esposa Nina (Foto: Edimilson Soares)

O artista plástico Fernando Pacheco, premiado em vários salões no Brasil, reconhecido internacionalmente, tem um atelier na praia de Barra Nova, onde recebe os amigos e a imprensa. Recentemente, o pintor recebeu também uma equipe de cinema que está produzindo um documentário sobre sua vida. Páginas 4 e 5

 

 

 

 

 

História do restaurante Calabouço vira livro

O emblemático restaurante Calabouço, cenário onde se deu a morte do estudante secundarista Edson Luiz, em 1968, é o tema do livro de Geraldo Sardinha, escrito durante seu exílio no Uruguai, republicado agora no Brasil e já lançado em São Paulo e no Rio de Janeiro. Estopim das manifestações que culminaram com a célebre Passeata dos Cem Mil, o Calabouço foi uma criação do governo do presidente Getúlio Vargas, para amparar os estudantes carentes, principalmente nordestinos. Página 7

 

 

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.