Veríssimo e suas “Ver!ssimas”

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

É isto mesmo: Luiz Fernando Verissimo e suas “ver!ssimas” (“frases, reflexões e sacadas sobre quase tudo”), colecionadas e reunidas por um leitor e fã – Marcelo Dunlop – que sugeriu sua publicação à Editora Objetiva, como parte das comemorações dos 80 anos do famoso escritor gaúcho. Sugestão aceita, chega às nossas mãos o livro “Ver!ssimas”, contendo, de A a Z, o mais fino humor do festejado escritor, que, certamente, nos fará sorrir, rir e até mesmo gargalhar com a sua palavra sempre oportuna e bem humorada.

O jovem leitor Marcelo Dunlop tinha 10 anos de idade, quando foi “fisgado” com a seguinte “Ver!ssima”, “lida numa revista em 1989”: “Falava de morte, reencarnação e do medo que ele tinha de voltar a este mundo como formiga e ser pisoteado por um parente distraído.” Rsrs… A crônica foi recortada e guardada para ser relida, bem como as subsequentes… Isso quando não eram “coladas no armário, com fita gomada.”

Ali estavam as sementes do atual “Ver!ssimas”, de Luis Fernando Verissimo, que, com alegria e carinho, fiz uma breve seleção e trago para você, querido leitor: AMANTE – Amante é o namorado que leva pijama; AMOR – Desejo de que nada aconteça ao nosso amor, principalmente ter amor por outro; ANATOMIA – Há quem diga que Deus criou o apêndice e as amigdalas para dar de comer aos cirurgiões; ARGENTINO – Argentino, como se sabe, não joga de blazer azul porque o juiz não deixa; AUTOCONHECIMENTO – Conhece-te a ti mesmo, mas não fique íntimo; BOSSA NOVA – A bossa nova é o samba destilado; BUNDAS – Onde estão as bundas do Carnaval, quando não é Carnaval? Não parece razoável pensar que elas migram, como os pássaros; CASAMENTO – O casamento foi a maneira que a humanidade encontrou de propagar a espécie sem causar falatório da vizinhança; CLASSES – O Brasil é formado por uma classe dominante e uma classe ludibriada; CLÁSSICOS – Dedico-me aos clássicos: Sófocles, Virgílio, Shakespeare e ao picolé de côco;

COLUNA – Morrer é nunca mais se queixar da coluna; COCHICHO – O homem e o papagaio são os único animais que falam: mas só o homem cochicha; CONSTITUIÇÃO – Nossa Constituição é como “ A Voz do Brasil”: a maioria não liga; DEUS – Deus se não é brasileiro é simpatizante; DRINQUES – Em Havana bebe-se cubalibríssima – só rum, sem coca-cola; DISTRAÇÃO – A gente se distrai e, quando vê, está com 80 anos. É injusto isso; EPITÁFIO – “Por favor, deem outra sacudida”; EXCÊNTRICO – Um excêntrico é um louco com saldo bancário; FÉ – Só acredito naquilo em que posso tocar. Não acredito, por exemplo, em Luiza Brunet; GARRINCHA – Garrincha foi o último jogador folclórico do futebol brasileiro que deu certo; INTRIGA – A intriga é a única indústria de Brasília; LEBLON – A situação no Brasil é séria, mas nada é muito sério no Leblon; PELÉ – Pelé era bom até amarrando a chuteira; SORRISO – Ela deu um sorriso tão bonito que o rabo dos meus olhos começou a abanar de alegria; SIGLAS – Fazer siglas é a terceira paixão do brasileiro, depois do futebol e do boato; REPRODUÇÃO – Usar o sexo só para reprodução é como só sair com o carro para levar na oficina…

Rsrsrs… E por aí ele vai… Delícia, não? O espaço acabou e deixem-me voltar à leitura do “Ver!ssimas”… Até mais!…

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.