LOUVADA SEJA ADÉLIA PRADO!

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

Ela completou 80 anos, em 13 de dezembro de 2015. Para homenageá-la, foi publicada, em edição de luxo, a sua “Poesia Reunida”, primorosa, indispensável, pela Editora Record: “Adélia é lírica, bíblica, existencial, faz poesia como faz bom tempo”, assim a ela se referiu Carlos Drummond de Andrade. E Affonso Romano de Sant’Anna: “Adélia Prado é a Clarice Lispector de nossa poesia.”
Ao ser indagada porque sempre olha poeticamente para as coisas, ela respondeu: “Olhar as coisas poeticamente nos ajuda. Elas se vão, fica a poesia, que não morre.”
Eis alguns dos seus versos que sempre tocam meu coração: “Não é para entender que nós pensamos/é para sermos perdoados.// Ninguém se cansa de bondade e avencas.// Minha mãe achava estudo/ a coisa mais fina do mundo. /Não é. /A coisa mais fina do mundo é o sentimento.// Mulher é desdobrável. Eu sou.// A poesia, a mais ínfima, é serva da esperança.// Da oração verdadeira nasce a força.// Muito maior que a morte é a vida.// Alegre ou triste/ amor é coisa que mais quero.// Janela, palavra linda./ Janela é o bater das asas da borboleta amarela.// No cemitério é bom de passear./ A vida perde a estridência.// De vez em quando Deus me tira a poesia./ Olho pedra, vejo pedra mesmo.// Poesia sois Vós, ó Deus.//
Em 2007, em meu livro “Simplicidade”, dediquei-lhe o poema “Louvada seja Adélia”: Sigo pela contramão,/ por não saber ser correnteza…/ Escrevi no poema./ Tempos depois,/ descobri-me/ muitíssimo bem acompanhada: /”Estar na contramão,/ é andar no sentido contrário do rio/ para descobrir sua fonte./ Todos os poetas fazem assim.”/ Consolaram-me/ as simples e sábias palavras/ de Adélia Prado.//
Louvada seja você, Adélia Prado!

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.