O CENTENÁRIO DE “CAREQUINHA”

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

Hoje tem marmelada? – Tem sim Senhor! – Hoje tem goiabada? – Tem sim, Senhor! – E o palhaço o que é? – É ladrão de mulher!… Vozes ouvidas no baú das memórias da infância tão distante!… Era o CIRCO chegando com sua irresistível magia, especialmente para a criançada… Saudade!… Saudade da infância, da inocência perdida e do palhaço mais famoso do Brasil: “CAREQUINHA” – Jorge Savalla Gomes, que nasceu no picadeiro do circo do seu avô. Aliás, foi dele que ganhou, aos cinco anos, uma “peruca de careca” e o codinome com que se tornaria o palhaço mais famoso do País. Se vivo fosse, ele completaria 100 anos em julho e por isso será lembrado em várias comemorações neste 2015.
Na década de 50 (1950), a televisão no Brasil engatinhava e eram poucas as pessoas que podiam ter um aparelho de TV, pois era muito caro… Mas tia Gracinda foi a primeira pessoa da minha família a ter uma TV, e logo fez um convite irrecusável aos sobrinhos: – “Todas as 4ªs feiras vocês estão convidados para virem à minha casa para ver o “Circo Bom Bril!”… Com que ansiedade esperávamos as 4ªs feiras!… Sentávamos no sofá ou no chão da sala, os olhos fixos na TV, e era aquela magia ao vermos Carequinha em ação com suas brincadeiras, e a famosa cambalhota com as mãos no bolso, quase sem tocar o chão… (Há um vídeo da música “Fanzoca do Rádio”, no Youtube, em que é possível ver a gag). Quem não se lembra dos seus famosos bordões: “Tá certo ou não tá?, “Ai, ai, ai, carrapato não tem pai”… Além das palhaçadas, ele também educava. Lembram-se da música “Um bom menino não faz xixi na cama…” Sua neta, Stephanie Savalla, de 25 anos, (em matéria de Mariana Filgueiras, publicada no jornal “O Globo”, de 14/06/2015) diz que passou a vida ouvindo de todo mundo que encontrava: “Parei de fazer xixi na cama por causa do seu avô…”
CAREQUINHA morreu aos noventa anos, mas neste 2015, para comemorar seu Centenário de Nascimento, muito justamente, ele será homenageado. “Os pesquisadores e professores da PUC – RIO Júlio Diniz e Beatriz Damasceno estão finalizando a BIOGRAFIA “Tá certo ou não tá?” Uma história do palhaço Carequinha”, e coordenando uma EXPOSIÇÃO ITINERANTE que, a partir de setembro, vai percorrer o Rio e exibir cerca de 150 objetos do acervo do palhaço, como suas roupas e troféus. Junto com o livro e a exposição, a dupla vai lançar um SITE OFICIAL do Carequinha e um APLICATIVO para celular com brincadeiras infantis”. E mais: a Escola de Samba UNIDOS DO PORTO DA PEDRA já decidiu: seu enredo para o próximo Carnaval será: “Palhaço Carequinha: paixão e orgulho de São Gonçalo! Tá certo ou não tá?”

Tá certo, sim! Certíssimo, amigos!

Be Sociable, Share!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.