Messody Benoliel, uma dama em Saquarema

Messody e Martinho da Vila com os editores do jornal Sem Fronteiras, Dyandreia e Fabio Portugal, e escritores em evento do Pen Clube do Brasil, em dezembro do ano passado.  (Foto: Marlene e Luciano)

Messody e Martinho da Vila com os editores do jornal Sem Fronteiras, Dyandreia e Fabio Portugal, e escritores em evento do Pen Clube do Brasil, em dezembro do ano passado.
(Foto: Marlene e Luciano)

Ela é uma cantora que canta em 5 línguas e já foi chamada pelo cantor Ivan Curi de “A Piaf brasileira”. Autora de 12 livros de poesia, entre eles trovas, aldravias, sonetos e haicais, além de mais de 10 livretos de cordel, Messody Benoliel é também compositora de inesquecíveis sambas que embalaram os carnavais passados em Saquarema, onde morou por 15 anos. Advogada, defendeu ricos e pobres com o mesmo empenho, sem fazer diferença. De origem judaica, filha de pais marroquinos, católica praticante e assumidamente adepta do candomblé, Messody Benoliel é presidente da Academia Brasileira de Trovas, membro de diversas outras academias literárias e musicais, tem inúmeras medalhas conquistadas no Brasil e no exterior. Enfim, Messody é um mix da cultura brasileira.
Pela primeira vez, Messody vem a Saquarema para lançar um livro, o seu mais recente: “De olho na poesia”, lançado no final do ano passado no Rio, cuja capa estampa uma coruja branca, seu talismã. Com uma energia vital de grande impacto, Messody na verdade vem reencontrar amigos e amigas – e brindar à vida – num clima de pura descontração que vai inundar o salão da Casa de Cultura Walmir Ayala, no dia 29 de maio, a partir das 18 horas. Mas ela chega um dia antes, no dia 28 de maio, para participar da homenagem ao poeta José Bandeira, que a Casa de Cultura vai promover.
Messody não só foi amiga de José Bandeira, autor do Hino de Saquarema, como também sua biógrafa, pois escreveu o prefácio do livro póstumo “O poeta e as musas”, que a família e amigos publicaram em memória. Generosa, Messody vai fazer ainda uma palestra sobre um de seus poetas favoritos, Augusto dos Anjos, autor de um único livro: “Eu”. Por ter Augusto dos Anjos como patrono na Academia Brasileira de Literatura, Messody vai revelar aos saquaremenses a rara sensibilidade deste poeta que foi um dos mais originais da poesia brasileira. Com o título “Augusto dos Anjos, um poeta descrente”, ela fará não só uma homenagem a seu patrono, como vai revelar sua divinas rimas e sentimentos profundos.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.