Correndo atrás da notícia, em pouco tempo e espaço

Editorial - Dulce Tupy

É provável que a maioria dos leitores não tenha percebido, mas o jornal encolheu, desde que reduzimos as 16 páginas que tínhamos para nos adaptar aos novos tempos, ficando com apenas as 12 atuais. Assim, mais magro e mais enxuto, ficamos com pouco espaço para falar de tudo que gostaríamos no jornal, o mais influente de Saquarema e um dos mais lidos na Região dos Lagos, alavancado pelo nosso site – osaqua.com.br – na internet e pelas mídias digitais: facebook, google+ e twitter onde se encontram reproduzidos os nossos conteúdos e outros específicos com a marca de qualidade O Saquá. Assim, superamos as dificuldades do mercado, hoje sem anúncios oficiais, com apoio somente de nossos anunciantes comerciais, que nos prestigiam mensalmente. E resistimos devido a nossa larga experiência em edição de jornais e livros, adquirida ao longo de 40 anos de profissionalismo.
Um dos eventos que não foram veiculados no jornal, por falta de espaço nas nossas páginas, foi o excelente Projeto Mais Leitura, da Imprensa Oficial, que se instalou numa livraria itinerante no calçadão da Vila, oferecendo livros baratíssimos, de 2 a 4 reais. Dizem que o povo não lê. Mentira! Quando tem acesso, o povo lê sim. Foi o que pudemos constatar, com o montão de leitores na barraca da Imprensa Oficial, atrás de todo tipo de livros. Jovens, crianças, adultos, idosos, todos queriam livros… O projeto também tem lojas fixas, em Niterói e São Gonçalo, em Bangu, no Rio, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

A boia sendo resgatada no Boqueirão com o acompanhamento de três técnicos da UFRJ, Marcos, Tales e Gabriel e vários moradores do bairro (Foto: EDIMISLON SOARES)

A boia sendo resgatada no Boqueirão com o acompanhamento de três técnicos da UFRJ, Marcos, Tales e Gabriel e vários moradores do bairro (Foto: EDIMISLON SOARES)

Fatos curiosos que acontecem no município muitas vezes também não são noticiados por simples falta de espaço nas páginas impressas do jornal O Saquá, cada vez a custos maiores. Então, o jeito é colocar só na internet! É o caso da boia da UFRJ que apareceu na Praia do Boqueirão, trazida pelas violentas ondas de uma ressaca. De cor amarela, bem chamativa, a boia ficou presa na areia, com uma luz piscando. Na verdade, é uma boia meteorológica que se soltou das amarras na boca da Baía da Guanabara e surfou até Saquarema. Segundo os técnicos da UFRJ que vieram resgatá-la, a boia fez um passeio que custou caro e muito trabalho da máquina alugada para puxá-la até o asfalto, quase 24 horas depois.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.