José Leal, um poeta que veio do frio

Da Alemanha para o Brasil, o poeta em visita ao jornal O Saquá (Foto: Dulce Tupy)

Da Alemanha para o Brasil, o poeta em visita ao jornal O Saquá (Foto: Dulce Tupy)

O poeta José Leal não é um estranho em Saquarema. Palestrante do ciclo de palestras sobre os “90 anos da Coluna Prestes e 50 anos do Golpe de 1964”, realizado na FAETEC, em Bacaxá, José Leal tem visitado o município com alguma frequência. Hospedado no Hotel Saquarema, no centro da Vila, José Leal descobriu que é aqui que pretende morar, depois que retornar definitivamente da Alemanha, país onde vive há cerca de 30 anos. Autor de vários livros, entre eles a biografia do grande violonista de meados do século, João Pernambuco, escrita em coautoria com Artur Luís Barbosa e publicada pela FUNARTE (Fundação Nacional de Arte) em 1982, lançou recentemente em português o livro de poesia “Vozes que Vibram a Vida”.
Com a maioria de sua obra publicada em alemão, José Leal é um escritor, poeta e jornalista que precisa ser redescoberto em sua língua natal: o português. Como ex-prisioneiro político, retornando aos poucos ao Brasil, só agora vem publicando seus artigos em revistas e jornais brasileiros, impressos e online. De sua recente visita a Saquarema, quando esteve na redação do jornal O Saquá, José Leal extraiu inspiração para escrever este poema que fica como homenagem à cidade que escolheu para viver:
Saquarema é poema

Querida Saquarema
Eu vivia só
Sem teu sal, sol e som
Sem acordar com teus acordes
Nas águas onde o Ré soa
O Si levanta
O Mi embala todo dia
Fá (s) cina
O Dó ardo de alegria
Sol-ve-rima
O Lá borila e borda
Lindas melodias

Você sorri quando espraia
Rara rima e recria poesia
Meu corpo aporta e se solta
Em tuas lindas curvas azuis
Na verve de tuas matas verdes

Oh! Querida Saquarema
Lume ávido de vida livre
Eu visto o verso lascivo
Você verte poesia desnuda
Eu todo prosa
Você naturalmente hermosa
Saqua sapeca, sublime e humana
Saqua rima e ama
Saqua rema rima
Saqua rima rema
Meu coração se arrepia
Você é sublime alegria
O Saquá noticia
Me vira ao avesso
Inverte o prisma e o tema
Mágica Saquarema é poema

Encanta as garças de graça
Seduz quem chega, quem passa
A lua te grafita grávida de luz
Eu me levanto e vou levitando
Ouço você me chamando
Vem cá, chuá, vem cá!

Você vem sedenta
Com força guerreira Tupi-Zumbi
Tô aqui, todo ardente faceiro
Oh! Minha meiga amiga
Sem receio, em teu meio
Me envolvo por inteiro.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.