VIVER MELHOR EM 2015?

Cultura é Notícia - Beatriz Dutra

2014 passou e um NOVO ANO temos pela frente. Os desafios são: vivermos melhor, sermos mais felizes, e, tanto quanto possível, não abandonarmos nossos sonhos, apesar de tantos dissabores, tantas perplexidades e tantos desencantos, com os fatos quase que diariamente noticiados.
Escolhi duas diretrizes para vivermos melhor em 2015, apesar de tudo que possa acontecer:
1°) “NADA TE PERTURBE, NADA TEM ESPANTE. TUDO PASSA, SÓ DEUS NÃO MUDA. QUEM A DEUS TEM, NADA LHE FALTA” – palavras de TERESA D’ÁVILA (Teresa de Jesus) – que apesar de escritas há tanto tempo, podem nos ajudar a alcançar e preservar a paz interior, apesar dos desatinos e absurdos à nossa volta. Porque da paz interior vem o equilíbrio físico e psíquico, e a saúde. Se não há paz, com o desequilíbrio, ficamos vulneráveis e deixamos a porta aberta para a chegada das doenças. ERICO VERISSIMO escreveu: “felicidade igual a serenidade”. Assim, paz e felicidade estariam associadas. Mas a vida moderna além de tudo, exige força e coragem – que certamente teremos, se nos ancorarmos na fé em Deus – energia constante e inesgotável à disposição de todos.
2ª diretriz: “QUANDO A ESPERANÇA SE ESVAI É A PRÓPRIA VIDA QUE SE ESVAZIA, PERDE O SENTIDO” – palavras do ex-Presidente da Academia Brasileira de Letras, Prof. e Filósofo TARCÍSIO PADILHA – de quem sempre serei aluna. Assim, em que pese toda a escuridão, não podemos perder a ESPERANÇA – tema que intitulei o poema que escrevi e está no meu mais recente livro (“Suavidade”). ESPERANÇA – Ser capaz de aguçar o olhar /e perceber um ínfimo e longínquo / ponto de luz / quando tudo parecer perdido, / na escuridão absoluta… / Ser capaz, ainda, / de reunir forças desconhecidas / e conseguir rumar para ele… / É deixar-se guiar / pelo lume da ESPERANÇA, / que salva e vivifica.
Ps. Parabéns a Dulce Tupy (Tupy Comunicações) e YARA SANTOS DE SOUZA (Cici) pelo sucesso do lançamento do livro autobiográfico de Cici, “MEU NOME, MINHA VIDA” ocorrido no dia 12 de dezembro passado, na Casa de Cultura. Vale a pena ler e conhecer a instigante história da luta e vitória de Cici para o reconhecimento da sua existência, sua identidade e seus direitos.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Beatriz Dutra é poeta, “Cidadã Saquaremense” e membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa.