O lançamento do livro de Cici, a “morta-viva” de Saquarema

Editorial - Dulce Tupy

A TUPY Comunicações editou mais de 10 livros em Saquarema e vem se consagrando como uma das maiores editoras da Região dos Lagos. Assim, foi natural que o pesquisador Herivelto Bravo Pinheiro, autor do livro Raízes de Minha Terra, indicasse a TUPY Comunicações para editar o livro de Cici, quando esta lhe procurou para publicar suas memórias. Por motivos alheios a nossa vontade, houve um desencontro entre Cici e nós, da TUPY Comunicações, que também edita o jornal O SAQUÁ e o site www.osaqua.com.br. Mas um belo dia, o professor Edson Fonseca levou Cici à redação do jornal O SAQUÁ, sede da TUPY Comunicações, em Barra Nova e daí surgiu uma parceria que resultou agora na publicação do livro “Meu nome, minha vida: a verdadeira história de Cici, a ‘morta-viva’ de Saquarema”.
Trata-se de um livro emocionante, destes que se lê de um só fôlego, sobre a trajetória de Cici, uma jovem que chegou a Saquarema junto com os pais, Cecília e Francisco, donos do principal hotel da cidade que na época não

(Foto: Edimilson Soares)

(Foto: Edimilson Soares)head

passava de uma pequena Vila de pescadores, depois descoberta pelos surfistas. Aqui surgiu um grande amor entre Cici e Gudinho, pai de seus 5 filhos, porém um casamento questionado pela família. Sem acesso a seus documentos originais, Cici teve dificuldade de manter seus filhos na escola e descobriu, por insistência junto a sua mãe, que tinha sido adotada e que na verdade era sua sobrinha. Mais tarde, descobriu também que havia uma certidão de óbito, tornando-a uma verdadeira “morta-viva”. As tramas desse destino e a luta pelo reconhecimento de sua identidade, ao longo dos anos, fizeram de Cici uma batalhadora, conhecida no Fórum da cidade e no do Rio de Janeiro, onde o processo judicial foi parar.
Finalmente reconhecida como Yara Santos de Souza, Cici resolveu escrever sua biografia como um desabafo. Foram muitos anos de luta judicial, humilhações e dor. Com o lançamento do livro “Meu nome, minha vida: a verdadeira história de Cici, ‘morta-viva’ de Saquarema”, dia 12 de dezembro, às 19 horas, na Casa da Cultura Walmir Ayala, em frente à Prefeitura, Cici vai fechar um ciclo de perversidade e agonia que começou em sua juventude e se encerrou com a sua vitória na Justiça, que lhe deu direito à herança de seus pais, incluindo o Hotel Saquarema, e sobretudo seu nome, sua dignidade e sua vida. É um orgulho a TUPY Comunicações ter sido escolhida por Cici, para editar sua biografia, um livro necessário, para constar na verdadeira história da cidade.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.