Feira da Cultura e Agricultura Familiar encanta o público apesar da chuva

A folia de reis ganhou novos integrantes e o palhaço, fruto da parceria com a Escola Municipal Clotilde, de Sampaio Corrêa (FOto: Dulce Tupy)

A folia de reis ganhou novos integrantes e o palhaço, fruto da parceria com a Escola Municipal Clotilde, de Sampaio Corrêa (FOto: Dulce Tupy)

O tempo não era o ideal para eventos como esse, mas tudo contribuiu para o sucesso de uma feira que já é tradição no Centro de Saquarema. A Feira Cultural e a Feira da Agricultura Familiar sempre andaram juntas, desde que surgiu inicialmente onde é hoje a Praça do Bem-Estar, na orla da lagoa. Depois, a feira ficou vários anos nas ruas ao lado da Praça Oscar de Macedo Soares, popularmente conhecida como Praça do Artesanato, próxima aos Correios, e este ano inaugurou um novo espaço, na Praça Antenor de Oliveira, conhecida como Praça do Canhão. Assim, a Feira Cultural ampliou o número de barracas e a área de circulação. Melhorou também o palco, que ficou mais baixo e perto do público. E a Feira da Agricultura Familiar ficou na rua da orla da lagoa, em frente à praça, com barraquinhas de alimentos saudáveis produzidos localmente e plantas e mudas dos produtores locais.

A tenda dos escritores com alguns de seus ilustres participantes (Foto: Dulce Tupy)

A tenda dos escritores com alguns de seus ilustres participantes (Foto: Dulce Tupy)

Com o slogan “Nossa terra, nossa gente, nossos valores culturais”, a Feira Cultural apresentou um pouco de tudo que se faz em termos de dança, teatro, artes plásticas, literatura, artesanato e criatividade infantil. Impossível descrever a multiplicidade de manifestações culturais que passaram por ali em apenas 2 dias; talvez a feira tenha que começar a pensar em se expandir para 3 dias, porque são muitas demandas para pouco tempo e espaço. O que revela a pujança cultural de Saquarema, que abrange desde a cultura tradicional da Folia de Reis de Sampaio Corrêa, agora acoplada à Escola Municipal Clotilde, até a tenda Café Literário, que reúne os escritores e poetas da cidade. Nas barracas da agricultura familiar, destaque para as sopas e caldos e para as geléias e doces caseiros, banana chips e outras delícias da vida rural.

Gil, da Colorgil, produzindo leite de cabra (Foto: Edimilson Soares)

Gil, da Colorgil, produzindo leite de cabra (Foto: Edimilson Soares)

Mais uma vez o caminhão de mudas do Manelzinho, de Rio Seco, trouxe uma grande variedade de plantas, frutíferas ou não, para os amantes da jardinagem e das roças. As tendas do CACS fizeram a alegria das crianças, com espaço lúdico para pintura e outras atividades. O palco, para onde convergiam os aplausos, foi um desfile de apresentações de música, dança, teatro e folclore. Teve até concurso de poesia e exposição de fotos sobre Saquarema. Promovida em conjunto pelas secretarias municipais de Educação e Cultura e a de Agricultura, Abastecimento e Pesca, a Feira Cultural e da Agricultura Familiar é um invenção saquaremense, onde a cultura conversa com o meio ambiente, através das atividades agrícolas e pesqueiras. Um evento que a cada ano se supera.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.