Campeonato eletrizante para os torcedores do Vasco e a dupla Fla-Flu

O Campeonato Brasileiro deste ano está tão embolado que você vê um clube, antes dos dois últimos jogos que vão fechar a rodada, ser o 1° fora do G-4 a 8 pontos do 4° colocado e a apenas 5 do Z-4 formado pelos times que serão rebaixados se lá estiverem após a realização da última rodada. Ou seja, é grande o número de equipes que tanto podem sonhar com uma vaga na Libertadores quanto terem pesadelos com o rebaixamento. Nesta situação eletrizante estão, pela ordem, os torcedores vascaínos, tricolores e rubro-negros. Exceção apenas para os botafoguenses, praticamente garantidos no G-4 e até com chances matemáticas de conquistar o título se o Cruzeiro, com boa vantagem, afrouxar e der mole.

O Vasco tem condições técnicas e tradição de importantes títulos para acreditar que pode se livrar do rebaixamento, nem que seja na última rodada. Mas não pode ficar só nessa de pensamento positivo. A colocação da tabela é bem complicada e a sequência de jogos é dura porque contra equipes com melhor campanha. Após uma animadora vitória sobre o Fluminense, o Vasco não repetiu contra o Criciúma, seu vizinho na zona do rebaixamento, o mesmo nível de acerto e concentração que teve no clássico contra o tricolor carioca. Começou em desvantagem, empatou duas 2 vezes (1×1 e 2×2) e acabou permitindo que o Criciúma chegasse à vitória por 3×2. Os vascaínos têm razão ao reclamar de um pênalti não marcado em Marlone, no 1° tempo. A lamentar a atitude de Willie que entrou no 2° tempo, jogou apenas 17 minutos e foi expulso após discutir e empurrar o árbitro pela marcação de uma falta contra o Vasco.

Já em relação ao Fluminense é sempre bom escapar de uma derrota, empatando no minuto final contra o Grêmio. Mas, pensando bem, o empate para o Flu foi ruim, jogando em casa diante do Grêmio, um time que sempre joga só se defendendo. Derrotado, em seguida, por 1×0 pelo Cruzeiro, no Mineirão, embora tenha dominado o segundo tempo do jogo, quando desperdiçou várias oportunidades, sendo 2 gols “feitos” com Samuel, que lhe dariam a vitória por 2×1. Depois de uma pequena fase de reação com a chegada do técnico Luxemburgo, o Fluminense voltou a jogar com muitos desfalques, sem inspiração, num padrão que está deixando a torcida muito preocupada. Apesar da derrota para o Botafogo, quando poderia ter, ao menos, empatado se Hernane, Paulinho, Bruninho e até Elias não se afobassem na hora de finalizar a jogada, o Flamengo, logo em seguida, conquistou 3 pontos importantes vencendo o Bahia, no Maracanã, e corre menos riscos de rebaixamento do que o Vasco e Fluminense. Jayme de Almeida deu padrão, confiança e estabilidade. Mesmo perdendo para o Botafogo, o treinador rubro-negro exaltou o comportamento da equipe, que jogou bem, e elogiou seus jogadores pelo espírito de luta. A propósito, um gozador, amigo do comentarista Renato Maurício Prado, disse que “o campeonato desse ano está tão nivelado que corre o risco do campeão só se livrar do rebaixamento na última rodada”.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Marcelo Vignoli escreve sobre esporte para o jornal O Saquá.