Secretaria Municipal da Mulher contra violência

A secretária Rosangela Borges, de blusa rosa, e sua equipe de atendimento às mulheres  de Saquarema (Michele Maria)

A secretária Rosangela Borges, de blusa rosa, e sua equipe de atendimento às mulheres de Saquarema (Foto: Michele Maria)

Um levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) expõe dados assustadores de casos de violência contra a mulher. Segundo pesquisa feita na Região dos Lagos, baseada em 2012, Saquarema está em terceiro lugar no ranking, com 39 casos de estupro, 354 de ameaças e 300 de lesão corporal. Estes são os crimes mais comuns, entre os 6 tipos que foram analisados. Também não são computados aqueles dos quais a ocorrência não é feita. Segundo a Polícia Militar, quando os agentes chegam ao local, a maioria prefere não registrar o ocorrido para não prejudicar o parceiro ou por medo de futuras agressões.

Em Saquarema, as mulheres que precisam de atendimento podem recorrer ao serviço de orientação da secretaria da Mulher, fundada em 2012, em Bacaxá. Segundo a secretária municipal da Mulher, Rosângela Borges, todas as mulheres, que sofrem ou não agressões, devem conhecer o trabalho realizado por este órgão. A secretaria da mulher atende de 1 a 2 mulheres por dia, fazendo uma triagem de cada situação. Caso necessário, a vítima é encaminhada para o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), que funciona no anexo da Secretaria da Mulher e presta assistência social, psicológica e jurídica, quando necessário.

Desde que foi fundada, a secretaria da Mulher vem realizando palestras sobre violência doméstica e trouxe à cidade membros da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM). Em 2012, em parceria com a secretaria de Desenvolvimento Social, diplomou 29 mulheres, através do Programa Nacional de Ensino Técnico (PRONATEC), formando-as em pedreiras, carpinteiras, aplicadoras de revestimento cerâmico e armadoras de ferragens. Este ano, 99 mulheres já estão inscritas nos cursos e terão uma profissão. Rosângela fala satisfeita do trabalho que a secretaria vem desenvolvendo:

– A maioria das mulheres que sofrem violência doméstica está fora do mercado de trabalho por não terem uma profissão. Com os cursos, estas mulheres se profissionalizam e trabalhando conseguem vencer a dependência do parceiro, tendo a opção de deixá-lo, se necessário for, e com isso acabar com as agressões, já que o maior número de casos recebidos aqui é de ameaças. Agora vislumbramos a criação do Conselho Municipal da Mulher, que está em processo de elaboração.

Entre muitas conquistas, no curto tempo de funcionamento, a empregabilidade através do PRONATEC é a menina dos olhos de Rosângela. Com a Lei Maria da Penha, que criminalizou os casos de agressão contra a mulher, houve uma inibição, mas os dados ainda são alarmantes. A secretaria municipal da Mulher fica localizada à Rua Valdomiro Diogo de Oliveira, 476, na subida do CIEP (Brizolão), em Bacaxá. O primeiro atendimento às vítimas também poderá ser feito através do telefone: 2653-2769.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.