22 de abril: Dia Mundial da Terra e do Descobrimento do Brasil

Editorial - Dulce Tupy

Criado por um professor nos Estados Unidos, o Dia da Terra foi comemorado pela primeira vez em 1970, chamando atenção para a poluição e contaminação da Terra, entre outras preocupações ambientais. Nesta primeira manifestação participaram milhares de universidades, escolas e comunidades e desta pressão social resultou a Agência de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency), além de uma série de leis destinadas à proteção do meio ambiente. Em 1972, celebrou-se a primeira Conferência Internacional sobre o Meio Ambiente, em Estocolmo, cujo objetivo era sensibilizar os líderes mundiais sobre os graves problemas ambientais e a necessidade de erradicá-los do planeta. A partir de então, o Dia da Terra passou a ser comemorado em vários países, tornando-se um importante instrumento de educação ambiental.

A partir da Conferência Rio-92, o Dia Mundial da Terra passou a ser divulgado amplamente. No ano 2000, uma comissão internacional conclui um documento chamado Carta da Terra, uma declaração de princípios, voltada para a construção de uma sociedade global – justa, sustentável e pacífica – visando o bem-estar da humanidade e das futuras gerações. Com uma mensagem de esperança, focando num futuro sustentável, a Carta da Terra é resultado de um diálogo entre os povos e as nações, em torno de objetivos e valores comuns, que começou como uma iniciativa da ONU e tornou-se uma proposta global. Verdadeiro marco ético, foi legitimada pela adesão de mais de 4.500 organizações em todo o mundo, incluindo organismos governamentais e organizações não governamentais.

Com valores universais, a Carta da Terra é um código universal de conduta para pessoas, instituições e Estados. Com 4 princípios, a Carta da Terra propõe respeitar e cuidar da comunidade na Terra; conservar a  integridade ecológica do planeta; justiça econômica e social para a humanidade; e democracia, não-violência e paz entre as nações. Neste momento da evolução da humanidade, devemos reconhecer que pertencemos a uma mesma comunidade terrestre e temos um destino comum. Por isso é preciso construir uma sociedade sustentável, global e baseada no respeito à natureza, nos direitos humanos, na justiça econômica e numa cultura da paz. Afinal, somos, ao mesmo tempo, cidadãos de nações e culturas diferentes, mas de um mundo no qual a dimensão local e global estão interligadas.

Dia 22 de abril é também a data em que se comemora o Dia do Descobrimento do Brasil. Neste dia, no ano de 1.500, os portugueses aportaram suas naus no nosso litoral, na Bahia, onde encontraram índios que viviam neste território há séculos. A partir daí, nunca mais esta terra foi a mesma, iniciando-se um período de colonização, baseada na exploração do pau-brasil, árvore que deu o nome ao nosso país. Dando suporte ao sistema colonial, a escravidão de índios e negros foi a base do desenvolvimento na América, num processo de devastação que destruiu culturas milenares e devastou recursos naturais, entre eles a prata, o ouro e as pedras preciosas que alimentaram a Europa daqueles tempos. Desta mistura de nações indígenas, europeias e africanas surgiu o Brasil de hoje, cuja perspectiva é o desenvolvimento sustentável. Um futuro espelhado na Carta da Terra.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.