2013: o Ano Internacional da Cooperação pela Água

Editorial - Dulce Tupy

A água é um bem comum da humanidade e hoje sabe-se, ao contrário do que se chegou a pensar antigamente, que as fontes de água no planeta são limitadas. Os principais reservatórios de água na Terra são os oceanos, as geleiras, as águas subterrâneas, os rios e lagos, a biosfera e atmosfera. A água que temos no mundo é a única água de que dispomos e está distribuída desta maneira: 97,3% é de oceanos, 0,6% é de água doce e 2,1% é gelo. A água doce, por sua vez, é constituída de 1,48% de lagos, 0,02% de rios, 0,77% de umidade do solo e 97,73% de águas subterrâneas. Portanto o que temos para consumo e desenvolvimento é muito pouco e deve ser preservado de todas as maneiras.

Em 2010, diante do aumento da escassez de água em vários países, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 2013 o Ano Internacional das Nações Unidas da Cooperação pela Água. Foi decidido também que o Dia Mundial da Água em 2013, celebrado em 22 de março, também teria como tema a Cooperação pela Água. O tema é inédito, o que ressalta sua importância primordial e confere particular relevância a este 20º Dia Mundial da Água, uma data criada em 1992, ano da famosa Rio-92, Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente, promovida pela ONU no Rio de Janeiro.

Em junho do ano passado, realizou-se a Rio+20, Conferência Mundial pelo Desenvolvimento Sustentável, onde a gestão da água foi um dos pontos destacados. A humanidade não pode prosperar com sustentabilidade sem a cooperação no manejo dos recursos hídricos, em escala global, continental, nacional, regional e local. A gestão da água envolve governos e sociedade, incorpora as dimensões cultural, educacional e científica, incluindo aspectos religiosos, éticos, sociais, políticos, legais, institucionais e econômicos. Hoje, a pressão é cada vez maior sobre os recursos hídricos, com o uso exaustivo da agricultura e indústria, a urbanização desmedida e um consumo exagerado, gerando poluição e mudanças climáticas, num planeta com mais de 7 bilhões de habitantes…

A água doce e em quantidade suficiente para todos é essencial para a manutenção da vida; é um pré-requisito para seres humanos, sociedades e ecossistemas naturais. A questão da água está associada ao crescimento populacional, ao aumento da demanda de recursos naturais, ao aquecimento global, à miséria e à fome. Neste contexto, a cooperação pela água é determinante para a erradicação da pobreza. O acesso à água potável é fundamental para as necessidades básicas humanas. A governança da água, de forma participativa, pode levar à superação das desigualdades sociais e contribuir para a erradicação da pobreza e melhoria das condições de vida das populações, no mundo inteiro. Todas as atividades econômicas dependem dos recursos hídricos, sem os quais não há vida sobre a Terra. Sob esta ótica, a água é um veículo para a construção da paz no mundo, no rumo do desenvolvimento sustentável que garantirá a todos um futuro melhor.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.