Mano tem time-base com a volta de Kaká

Kaká em um dos momentos de boa atuação contra o Japão. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Kaká em um dos momentos de boa atuação contra o Japão. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Após perder a medalha de ouro olímpica nos Jogos de Londres, apesar de ter recebido o apoio do presidente da CBF, José Marin, os meses de setembro e outubro passaram a ser decisivos para o técnico Mano Menezes na seleção brasileira. Qualquer tropeço na série de amistosos contra a África do Sul, China, Argentina, Iraque e Japão, poderia ser fatal para a demissão do técnico. Foi, provavelmente, por esse clima que Mano resolveu recorrer á experiência, convocando Kaká, que desde a Copa de 2010 não era chamado para a seleção devido a problemas de ordem física. E sua volta acabou marcada por uma boa atuação, sendo mais comemorada que a goleada por 6 x 0 sobre a fraca seleção do Iraque, treinada por Zico.

Nesta partida, as jogadas para o segundo gol, de Oscar, e para o terceiro feito pelo próprio Kaká, bem ao seu estilo, demonstraram que o seu talento permanece intacto. Foi a primeira vez que Kaká jogou nesta nova seleção brasileira e o potencial de seu talento fez com que ele superasse a falta de entrosamento. Jogando mais pela esquerda, com Neymar livre para circular por todo o campo, deixou a seleção mais ajustada. Sem um “centroavante de ofício”, como diz Galvão Bueno, o Hulk jogou quase como um ponta-direita e Oscar, por sua vez, teve mais espaço para se aproximar da área e acabou marcando dois gols.

Depois do jogo com o Iraque, o retorno de Kaká foi novamente elogiado, quando a seleção, num bom teste, enfrentou o Japão que, embora não seja uma potência do futebol mundial, é a mais forte equipe asiática, liderando seu grupo nas eliminatórias para a Copa de 2014 e tendo derrotado a França por 1 x 0, no dia 12 de outubro, em Paris. Kaká repetiu a boa atuação, mesmo diante do Japão, um adversário bem superior ao Iraque, e também marcou o seu gol, quase dois porque chutou uma bola na trave, na vitória brasileira por 4 x 0. Dizem que Mano Menezes estaria procurando um jogador com experiência para encorpar o time, que tem média de idade de apenas 24 anos. E parece que achou. E Kaká com 30 anos, ex-melhor jogador do mundo.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Marcelo Vignoli escreve sobre esporte para o jornal O Saquá.