Grupo Desk: administrado pelo empresário Ernesto Maia e seus filhos, agora instala fábricas em Saquarema

O engenheiro Luquette ao lado de Ernesto com dois funcionários da Desk, Márcio e Mazinho, e o amigo Miguel, no Polo Industrial de Sampaio Corrêa.  (Fotos: Edimilson Soares)

O engenheiro Luquette ao lado de Ernesto com dois funcionários da Desk, Márcio e Mazinho, e o amigo Miguel, no Polo Industrial de Sampaio Corrêa. (Fotos: Edimilson Soares)

Desde que surgiu, o Grupo Desk sempre apresentou inovações no mercado. Inicialmente, foram os móveis feitos de madeira, na primeira fábrica em Maria Paula, São Gonçalo, onde tudo começou. Situada num pequeno terreno de 15 x 35 metros, a fábrica criada pelo jovem empreendedor – recém-chegado do Pará – logo mostrou sua vocação para crescer. Da madeira, passou para o plástico, com uma linha de produtos escolares reconhecida pelo belo design, resistência e praticidade. Hoje, com representantes em todos os estados, Desk é sinônimo de qualidade no Brasil e no exterior, sendo uma referência neste segmento do mercado.

Fornecedor das cadeiras de estádios como o Maracanã e o Engenhão, no Rio, o Pituaçu, na Bahia, o Mané Garrincha, em Brasília e o Morumbi, em São Paulo, entre outros estádios e arenas, também fornece cadeiras para o Sambódromo. Com uma fábrica em São Gonçalo e outra na Região dos Lagos, a Desk foi a primeira empresa a se instalar no Condomínio Industrial de Araruama, onde edificou o prédio administrativo em vidro fumê, ao lado dos enormes galpões. As fábricas do grupo são cercadas de árvores, uma paixão do empresário Ernesto Maia, um ecologista por natureza.

Descendente de índios e europeus, o caboclo nortista de pele tostada e cabelos aloirados, óculos escuros no estilo Waldik Soriano, mostra com orgulho os departamentos da empresa que hoje também fabrica sofisticadas lousas digitais, uma novidade que encantou o governador Sérgio Cabral, quando esteve em Saquarema, inaugurando as instalações da FAETEC de Bacaxá. Diante do protótipo exposto, o governador ficou impressionado com tanta tecnologia numa escola no interior, embora a FAETEC de Saquarema seja uma das maiores do Estado do Rio de Janeiro.

O megagalpão da fábrica no Palmital, com 12 metros de altura, vai abrigar inicialmente 400 funcionários, com capacidade de expansão para 1.000 empregos em Saquarema.

O megagalpão da fábrica no Palmital, com 12 metros de altura, vai abrigar inicialmente 400 funcionários, com capacidade de expansão para 1.000 empregos em Saquarema.

A lousa digital que deixou o governador Sérgio Cabral, o presidente da Assembleia Legislativa deputado Paulo Melo, e o secretário estadual de Tecnologia, Alexandre Cardoso, admirados, diante do protótipo, apresentado na inauguração da FAETEC de Bacaxá.

A lousa digital que deixou o governador Sérgio Cabral, o presidente da Assembleia Legislativa deputado Paulo Melo, e o secretário estadual de Tecnologia, Alexandre Cardoso, admirados, diante do protótipo, apresentado na inauguração da FAETEC de Bacaxá.

Maior empresa da Região dos Lagos

A fábrica em Araruama emprega cerca de 700 funcionários que trabalham em três turnos, produzindo junto com moderníssimos robôs milhares e milhares de peças que serão revendidas em vários cantos do país e do mundo. São carteiras escolares em resina plástica de alto impacto, coloridas e versáteis, como o conjunto bitrapézio regulável, acionado apenas com um botão; carteiras universitárias, com prancheta e porta-lápis, cadeiras estofadas, mesas e armários para professores, conjunto infantil pré-escolar que permite várias arrumações, mesa e cadeira, estantes, guarda-tudo para organizar a sala de aula, conjunto refeitório, caixas plásticas e pisos em diversas cores, entre outros produtos.

A fábrica no Condomínio Industrial, em Araruama, é maior do que a fábrica em Maria Paula, em São Gonçalo, onde tudo começou, mas ambas são cercadas de verde. (Foto: Divulgação / Arquivo Desk)

A fábrica no Condomínio Industrial, em Araruama, é maior do que a fábrica em Maria Paula, em São Gonçalo, onde tudo começou, mas ambas são cercadas de verde. (Foto: Divulgação / Arquivo Desk)

O interior da fábrica em Araruama, onde funcionários capacitados convivem com moderníssimos robôs na linha de produção e montagem.

O interior da fábrica em Araruama, onde funcionários capacitados convivem com moderníssimos robôs na linha de produção e montagem.

 

A fábrica em Maria Paula, em São Gonçalo,  com a fachada em vidro, cercada de árvores. (Foto: Divulgação / Arquivo Desk)

A fábrica em Maria Paula, em São Gonçalo, com a fachada em vidro, cercada de árvores. (Foto: Divulgação / Arquivo Desk)

Os assentos para quadras poliesportivas, auditórios, ginásios, arenas e estádios aprovados pela FIFA e pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) já foram utilizados no PAN (Jogos Panamericanos) realizados no Rio, em 2007. Aliando tecnologia e beleza, o Grupo Desk também oferece pisos acoplados, coloridos, antiderrapantes, impermeáveis e de fácil montagem, para uso interno e externo em piscinas, saunas, vestiários, academias, embarcações, depósitos, cozinhas, lanchonetes, hotéis, casas de show, playgrounds e indústrias, entre outras finalidades. E fabrica um modelo exclusivo de caixas conteiners, empilháveis e resistentes, além das caixas super-resistentes para hidrômetros, de vários tamanhos.

Tecnologia avançada por natureza

Agora, a empresa se prepara para dar um salto mais alto na sua linha de produção. Em Saquarema, está construindo aquela que será a sua maior unidade de produção em uma área de 360 mil metros quadrados, no Palmital, que vai gerar aproximadamente 400 novos empregos. O primeiro prédio da Delta Produtos, mais uma empresa do grupo, em construção acelerada, já pode ser visto na Estrada Latino Melo, próxima à Rodovia Via Lagos. Com estrutura pintada de amarelo e altura de cerca de 12 metros, a construção é impactante, emoldurada por morros ondulados cobertos de Mata Atlântica, uma floresta que Ernesto pretende preservar, com suas ações voltadas para o meio ambiente.

Ao lado da fábrica, em Saquarema, um lago está sendo preservado e nas margens está sendo plantada grama e 3 mil árvores nativas e frutíferas, para atrair os pássaros. Amante do verde e dos animais, Ernesto se preocupa com o paisagismo de suas fábricas. Recentemente, mandou plantar mudas de bouganvilles de todas as cores na entrada da fábrica no Palmital.

Na fábrica em Araruama, mantém um lago com peixes, perto de um campo de futebol para lazer dos funcionários, onde também cultiva uma horta. Outras preferências do empresário são os pôneis, adorados pelas crianças que visitam a fábrica em grupos que vêm não só das escolas do município de Araruama, mas de municípios vizinhos e até de São Paulo. Mas o xodó é sem dúvida a estufa que abriga a raríssima jade, uma planta exótica, verde fosforescente. E o pé de maracujá-melão que está brotando ao lado do estacionamento, além das palmeiras de vários tipos, entre elas a do açaí, cujas mudas trouxe pessoalmente do Pará.

Ernesto no terraço da fábrica em Araruama, cercada de árvores nativas, ipês, palmeiras e  frutíferas.

Ernesto no terraço da fábrica em Araruama, cercada de árvores nativas, ipês, palmeiras e frutíferas.

Desk Digital em Sampaio Corrêa

O pátio para o carregamento das mercadorias nos caminhões é gigantesco e consumiu toneladas de concreto.

O pátio para o carregamento das mercadorias nos caminhões é gigantesco e consumiu toneladas de concreto.

Buganvilles em frente à fábrica em construção.

Buganvilles em frente à fábrica em construção.

Outra frente de trabalho aberta em Saquarema é a futura fábrica de lousas digitais, com capacidade de absorção de 50 profissionais capacitados nesta área tecnológica. E mais uma fábrica de reciclagem, com cerca de 20 funcionários, onde todos os materiais rejeitados pelo Controle de Qualidade de suas fábricas serão reciclados. Por enquanto, o terreno está em fase final de terraplanagem, no Pólo Industrial em Sampaio Corrêa, supervisionado por Ernesto que faz questão de acompanhar pessoalmente a evolução das obras, ao lado do amigo Miguel Rinaldi, engenheiro da Cedae, e do também engenheiro Wilson Luquette, responsável pela obra.

Animado com o andamento do trabalho, o empresário se refere ao deputado Paulo Melo, presidente da Assembleia Legislativa, que já visitou sua fábrica em Araruama algumas vezes, e à prefeita de Saquarema, Franciane Motta, com respeito e entusiasmo. Afinal, o futuro do Grupo Desk está integrado a este novo surto de desenvolvimento industrial que Saquarema vivencia. Ali, será instalada a Desk Board, fase digital do Grupo Desk que, junto com a Delta Produtos e a Desk Móveis Escolares compõe o grupo.

“Esta obra é em homenagem aos políticos e ao povo de Saquarema”, diz o empresário, que não gosta de falar de si mesmo, mas adora falar de suas empresas, cuja administração divide com seus filhos. A fábrica de Araruama é administrada por sua filha, que trabalha ao lado do marido, diretor industrial.

A megaescala do empresário

 

A preocupação com o meio ambiente é uma marca do empresário Ernesto Maia.

A preocupação com o meio ambiente é uma marca do empresário Ernesto Maia.

Ipê florido

Ipê florido

Natural do pequeno município de Breves (PA), situado nas margens do Rio Tajapuru que desemboca na Bahia de Marajó, Ernesto conheceu desde menino a grandiosidade da Amazônia, a força da natureza e a profundidade das águas.

“O Tajapuru alcança 70 metros de profundidade e, para chegar a Belém, são 24 horas de navio hoje; no meu tempo eram 4 ou 5 dias”, conta num momento de saudade. “É um oceano de água”, continua. “O Pará é o portal da Amazônia”, conclui satisfeito. E depois se cala. Antes de entrar no ramo de móveis, Ernesto trabalhou na adolescência numa quitanda em Niterói. Hoje é o número 1 do plástico, neste segmento específico, no Brasil. Todas os produtos são patenteados. O seu segredo de sucesso? A relação cliente-empresa e empresa-funcionários, além da qualidade do produto. “Não é o produto mais barato, mas é o melhor”, sintetiza ele.

Signo de Aquário, Ernesto vê o mundo pelo filtro da perfeição. Assim foi, quando começou a primeira fábrica e enfrentou os desafios. Depois, decidiu preservar uma reserva ecológica, em Itaipu, há 20 anos, onde promoveu o reflorestamento do manguezal, numa época em que ninguém dava valor ao mangue, hoje reconhecido como um dos sistemas mais ricos em biodiversidade. Homem de traços fortes e riso marcante, tem a voz firme e a calma aparente de quem vive em ebulição. E vai tocando seu destino.

Flor  de Jade

Flor de Jade

Com filiais em praticamente todos os estados do país, o Grupo Desk é atualmente uma ponta de lança da indústria de transformação, com base nos derivados do petróleo que vai movimentar o COMPERJ (Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro). Dentro da área de influência do COMPERJ e dos Terminais Ponta Negra (TPN), mais conhecido como futuro Porto de Jaconé, que está sendo projetado para ser construído em Maricá, Ernesto é mais uma vez um pioneiro, reproduzindo no século XXI a experiência adquirida no século passado. Sem medo de ser grande.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.