Australiano Matt Wilkinson é o grande campeão do Quiksilver Saquarema Prime 2012

A festa australiana tomou conta da praia e os amigos de Matt o carregaram até o pódio, após dar um show nas ondas de Itaúna e desbancar o favorito ao bicampeonato e conterrâneo Kai Otton. (Foto: Pedro Monteiro)

A festa australiana tomou conta da praia e os amigos de Matt o carregaram até o pódio, após dar um show nas ondas de Itaúna e desbancar o favorito ao bicampeonato e conterrâneo Kai Otton. (Foto: Pedro Monteiro)

Mais um ano de WQS (World Qualify Series – divisão de acesso ao WT, elite da turnê mundial, o World Tour) com altas ondas para consagrar o Maracanã do Surf durante os três primeiros dias de competição, entre os dias 22 e 27 de maio reuniram atletas de 18 países na Praia de Itaúna. No quarto dia como previsto, foi um dia de folga, pois o mar baixou. Nessa fase já estavam definidos os 16 melhores surfistas da etapa, que se garantiram nas oitavas de final, entre eles 7 brasileiros: Hizunomê Bettero, Jean Silva, Alex Ribeiro, William Cardoso, Gabriel Medina, Wiggoly Dantas e Filipe Toledo.

No sábado foram definidos os oito melhores surfistas que passaram direto para as oitivas de final. Entre eles o defensor do título, o australiano Kai Otton, que não teve dificuldades para vencer o brasileiro Simão Romão e o compatriota Perth Standlick. Nesta fase apenas dois brasileiros avançaram: os paulistas Hizunomê Bettero e Alex Ribeiro. Outros nove brasileiros foram pra repescagem brigar pelas oito vagas restantes e mais cinco se mantiveram na briga pelo troféu.

Campeão da edição de 2010, o catarinense William Cardoso conquistou a maior nota (9,7) e melhor média do campeonato (18,03) na repescagem contra o também brasileiro Flávio Nakagima. Outro brasileiro que também se classificou na repescagem foi o paulista Gabriel Medina. Ele ficou quase toda a bateria atrás do porto-riquenho Brian Toth mas com pouco menos de cinco minutos para o fim mandou um aéreo que o fez virar a bateria. Na última bateria do dia, o jovem atleta de 17 anos, Filipe Toledo duelou com o local Leo Neves do início ao fim, mas no final Filipe se garantiu também com um aéreo e avançou para as oitavas de final. Os brasileiros Gabriel Medina e Alex Ribeiro, que ainda tinham chances, caíram nas quartas de final.

Os australianos foram maioria no pódio. Em uma final 100% australiana, Kai Otton seguiu firme pela defesa do título, já que venceu o mundial de 2011, e sonhava com o inédito bicampeonato. Chegou muito desse feito, porém não conseguiu encontrar boas ondas durante a final. Matt Wilkinson venceu de forma incontestável, estragando o sonho de seu compatriota e ao sair do mar foi bastante aplaudido pelo público, que lotou a Praia de Itaúna, e foi carregado nos braços de seus amigos. O havaiano Keanu Asing e o norte-americano Kolohe Andino completaram o pódio.

A equipe da Ong Jardins de Itaúna, mais um ano trabalhando pela preservação ambiental e cidadania, durante o Mundial de Surfe. (Monique Barcellos)

A equipe da Ong Jardins de Itaúna, mais um ano trabalhando pela preservação ambiental e cidadania, durante o Mundial de Surfe. (Monique Barcellos)

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Monique Barcellos é jornalista.