Dez anos sem Lina Kneip

As arqueólogas Filomena Crancio e Lina Kneip nas escavações do Sambaqui da Beirada.

As arqueólogas Filomena Crancio e Lina Kneip nas escavações do Sambaqui da Beirada.

Há 10 anos falecia a antropóloga Lina Maria Kneip, pioneira da pesquisa nos sítios arqueológicos de Saquarema. Fundadora da Praça do Sambaqui, onde se encontra um sítio arqueológico aberto à visitação, em Barra Nova, inaugurado no segundo governo do saudoso prefeito Carlos Campos, Lina é autora de inúmeros estudos publicados sobre os sambaquis de Saquarema entre outros que pesquisou ao longo de sua vida acadêmica. Desde o falecimento da professora Lina, os sambaquis de Saquarema passaram a ser preservados pela arqueóloga Filomena Crancio, que trabalhou junto com Lina nos sambaquis locais, entre outros, inclusive em Minas Gerais.

Integrante da Equipe Técnica de Pesquisa do Centro Brasileiro de Arqueologia, desde 1974, Filomena Crancio ganhou o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1988, como colaboradora da obra “Coletores e Pescadores Pré-Históricos de Guaratiba, Rio de Janeiro”. Arqueóloga da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desde 1989, em 2008, a professora Filomena foi uma das homenageadas na Milésima Reunião da Congregação do Museu Nacional, em comemoração aos 190 anos da instituição. Em maio de 2011, Filomena foi homenageada novamente pelo empenho na preservação dos sambaquis de Saquarema, durante seminário de tributo à Lina Kneip e em dezembro, recebeu outra homenagem da Egrégia Congregação do Museu Nacional.

Hoje aposentada, dedicada aos sambaquis de Saquarema, Lina ainda mantém o sonho de construir no Sambaqui da Pontinha um Memorial da Lina Kneip. Um desafio para esta arqueóloga persistente que conseguiu preservar para as futuras gerações um legado do passado que ficará para sempre. Nesta oportunidade, o jornal O SAQUÀ publica um texto de Filomena Crancio, em homenagem a Lina Kneip.

Meus agradecimentos

Com pesar e saudade lembramos os 10 anos de falecimento da Profa. Dra. Lina Maria Kneip, ocorrido em 31 de janeiro de 2002, uma perda irreparável para a Arqueologia Brasileira.

Arqueóloga e professora do Museu Nacional/UFRJ, Lina Ma. Kneip, expoente na Arqueologia Brasileira, foi a pioneira no estudo dos sítios arqueológicos localizados no Município de Saquarema.

Lina Kneip dedicou grande parte de sua vida à pesquisa e preservação de sambaquis que representam valores culturais pré-históricos, a serem legados às futuras gerações.

Dentre os projetos da Profa. Lina, destaca-se a Praça do Sambaqui da Beirada, primeira exposição arqueológica ao ar livre de um sambaqui no Brasil, de valor científico, cultural e turístico.

A Praça comemora neste ano de 2012, no dia 31 de maio, seus 15 anos.

Tive a honra de ser assistente da Profa. Lina durante 28 anos, dedicando-me a dar continuidade à preservação dos sambaquis de Saquarema, após seu falecimento, com o apoio e colaboração do IPHAN, do Museu Nacional/UFRJ e da Prefeitura de Saquarema.

Aos professores do Museu Nacional, em especial o Prof. Sérgio Alex K. de Azevedo, à atual direção, em especial a Profa. Cláudia Rodrigues de Carvalho, minha reverência agradecida.

Ao Sr. Sérgio Murilo Duarte, chefe do Setor Financeiro – MN/UFRJ, meus agradecimentos.

À Prefeita Franciane Motta, nossos agradecimentos.

À Profa. Lina Ma. Kneip, minha reverência agradecida e minha saudade.

Filomena Crancio

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.