O Comperj está começando a se concretizar nas nossas mentes

Editorial - Dulce Tupy

Desde que foi anunciada a construção, em Itaboraí, do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, o Comperj começou a existir em nosso imaginário. O que seria? Qual dimensão? Quando vai começar a funcionar? Qual a impostância disso? Quais impactos em Saquarema e na região? Estas e outras perguntas povoaram as nossas mentes, cercadas de especulações, principalmente depois que chegou a primeira caravana da Petrobras, para dar início ao processo da Agenda 21, em Saquarema. Parecia que o futuro havia chegado! Centenas de pessoas prepararam seus currículos, sonhando com uma possibilidade de emprego, lideranças comunitárias e empresariais se juntaram em torno do Fórum da Agenda 21 e programas de educação ambiental, financiados pela Petrobras, começaram a pipocar na cidade.

Antes da anunciação do Comperj, só havia o Projeto Peispa, da Petrobras, na Colônia de Pescadores, tendo inclusive publicado um livro sobre a culinária saquaremense, praticada na cozinha industrial que foi o embrião da atual Cooperativa de Beneficiamento da Pesca e Pescadores de Saquarema, a Cobepps. Pouco se falava, então, da Petrobras, a não ser como um horizonte distante… lá… na Bacia de Campo. Outro programa que mexeu com as professoras e alunos da rede escolar, foi o Caminhão de Leitura, que trazia livros e ideias para as crianças e jovens. Mas acabou.

Por sua vez, o Fórum da Agenda 21 mobilizou centenas de pessoas dos 4 setores sociais, o Poder Público, os empresários, as ONGs e a comunidade, tendo realizado algumas ações, como o Seminário sobre Resíduos Sólidos, na Câmara Municipal e, posteriormente, o lançamento do Plano de Desenvolvimento Sustentável, na Cinea Fest House. Recentemente, um grupo da Agenda 21 Saquarema foi convidado para fazer uma visita ao Comperj e foi surpreendente. Aquilo que só existia no pensamento agora está virando realidade.

Em Jaconé, os efeitos do Comperj já começam a se fazer sentir. Os terrenos começaram a se valorizar; as casas mais ainda! Na redação do jornal O SAQUÁ, o recado de uma leitora quer saber em qual escola colocar seus filhos. O marido já está trabalhando no Comperj e a família, vinda de São Paulo, escolheu Saquarema para morar… Há menos de 1 mês, uma plataforma está ancorada no mar, em frente ao costão de Ponta Negra, em Jaconé. Barcos navegando e mergulhadores no local conhecido como “o terreno de Roberto Marinho” demonstram que o futuro complexo portuário de Maricá, com porto, estaleiro e um terminal de gás, já faz parte do presente…

Sendo um dos 14 municípios que compõem a chamada área de influência do Comperj, Saquarema já vem se preparando para o amanhã, através de grandes obras como a Escola Técnica da Barreira e o Hospital de Bacaxá, o asfaltamento e urbanização de ruas e estradas, a expansão da rede de água para Jaconé, entre outras iniciativas. Mas tudo isso será pouco, se a população não tiver consciência das enormes transformações pelas quais inevitavelmente terá que passar.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.