A tradicional Festa de Nossa Senhora de Nazareth foi mais uma vez um grande sucesso

A procissão foi o ponto alto da tradicional festa de Nossa Senhora de Nazareth que completou 381 anos. Fotos: Paulo Lulo

A procissão foi o ponto alto da tradicional festa de Nossa Senhora de Nazareth que completou 381 anos.
Fotos: Paulo Lulo

Os anjinhos sempre presentes na maior procissão da cidade

Os anjinhos sempre presentes na maior procissão da cidade

Por: Aluízio Almeida Júnior

A Festa de Nossa Senhora de Nazareth mais uma vez recebeu a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, de Belém do Pará, que esteve na cidade na manhã do dia 1º de Setembro. Durante quase 10 dias, realizaram-se diversas atividades na Igreja Matriz, que culminaram com a procissão da Senhora de Nazareth, no dia 8 de Setembro. Os pontos altos foram no dia 7, pela manhã, a Missa da Pátria, com participação dos corais Rainha Assunta e Cantavento, de Cabo Frio. À tarde, uma bonita procissão de barcos partiu do bairro do Jardim, pela Lagoa de Saquarema, até o sopé da igreja. O chamado “Círio das Águas” esse ano ganhou mais força do que no ano passado.

O deputado Paulo Melo e a prefeita Franciane  no cortejo religioso.

O deputado Paulo Melo e a prefeita Franciane no cortejo religioso.

Conta a história oral que, em 1915, uma grande seca assolou a Lagoa de Saquarema, ao ponto das pessoas poderem atravessá-la à pé. Preocupados e sem ter de onde tirar o sustento, os pescadores e devotos de N. Sra. de Nazareth saíram em procissão. Quando retornaram à Igreja, uma grande chuva desabou sobre a cidade e os rios voltaram a encher a lagoa, dando-lhe vida. Segundo o novo pároco de Saquarema, padre Mário Cezar, recém-chegado, mas com forte ligação com a cidade, pois foi batizado pelo saudoso Padre Manoel na Igreja de Saquarema, aquele foi um verdadeiro milagre que agora vem sendo resgatado através deste “Círio das Águas”.

O dia 8 de Setembro foi anunciado com uma Alvorada, às 4 horas da manhã. Durante todo o dia foram celebradas missas de hora em hora, com destaque para a missa das 10h, celebrada pelo arcebispo de Niterói, Dom Alano. Ao meio dia, o Padre Ademar, ex-Pároco de Saquarema, presidiu a Missa Solene, seguida da coroação de N. Sra. de Nazareth e do Menino Jesus. A missa foi cantada pelo maravilhoso Opus Coral e Orquestra, emocionando a todos com o Aleluia, de Haendel e Jesus Alegria dos Homens, de Bach, entre outros clássicos religiosos.

A fé refletida nas mãos dos devotos na Igreja Matriz se repetiu muitas vezes, na festa que se iniciou em 1630

A fé refletida nas mãos dos devotos na Igreja Matriz se repetiu muitas vezes, na festa que se iniciou em 1630

Às 18h, foi celebrada a última Missa, pelo monsenhor André Sampaio de Oliveira, ex- diplomata da Santa Sé Romana. Às 20h, a tradicional procissão emocionou a todos. O andor da padroeira, assinado por Leandro Oliveira, ornado em rosas, lírios e lisiantos, desceu as escadarias da Matriz, sob uma imponente queima de fogos. Emocionante foi a Ave Maria, de Gounod, interpretada pela professora Zelinha, à capela, em frente à casa do jornalista Silênio Vignoli, onde moraram seus pais, Nair e Casimiro Vignoli, que dedicaram toda vida à Igreja Católica. Em frente à casa da família Bravo, Zelinha interpretou Magnificat.

O Círio das Águas resgatou a procissão de barcos, ocorrido pela primeira vez em 1915

O Círio das Águas resgatou a procissão de barcos, ocorrido pela primeira vez em 1915

Encerrando a festividade, um espetáculo pirotécnico no morro da Matriz e uma apresentação surpresa do cantor Elymar Santos, na escadaria, interpretando Nossa Senhora, de Roberto Carlos. A festa de rua iniciada ainda perdurou até o dia 10 de setembro, com barracas de doces, comidas, bebidas, vestuário e outros. A Prefeitura promoveu shows com bandas locais e convidadas. O Círio de Saquarema é o mais antigo do Brasil. A devoção a Nossa Senhora de Nazareth, surgiu em Israel, chegando a Portugal e depois ao Brasil, primeiramente em Saquarema, em 1630, e depois em Belém do Pará.

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

O jornal O Saquá tem diversos jornalistas e autores que colaboram com seus textos.