Flamengo é campeão e Boavista fica na frente do Vasco

Pela quinta vez, em 16 anos, o Flamengo conquista invicto um campeonato estadual. Este, antecipadamente, porque o Flamengo ganhou a Taça Guanabara no primeiro turno e, agora, ao vencer o Vasco nos pênaltis sagrou-se campeão também na Taça Rio, segundo turno, evitando a decisão final em 2 partidas que seriam contra o Vasco se o time cruzmaltino tivesse vencido. Trata-se do 32º título estadual conquistado pelo Flamengo (o primeiro em 1914), 2 a mais que o rival Fluminense. O jogo entre Flamengo e Vasco não chegou a ser tão empolgante como costumam ser as decisões de campeonatos. Mas, se o Flamengo não fez um grande campeonato, se não jogou tão bem como exigido de um campeão, não se pode negar que foi o melhor time, até porque totalizou o maior número de pontos que traduzem o melhor índice técnico do Flamengo, além da invencibilidade. Na partida final, mesmo dominado em alguns momentos, o Flamengo, apesar do grande desfalque de Léo Moura, foi taticamente mais consciente do que estava fazendo em busca do título; mais organizado, mais seguro e também com mais posse de bola.

O atacante Frontini foi destaque do Boavista como um dos principais artilheiros do campeonato. Foto: Paulo Lulo

O atacante Frontini foi destaque do Boavista como um dos principais artilheiros do campeonato. Foto: Paulo Lulo

Já o Boavista, vice-campeonão na Taça Guanabara, na última rodada da Taça Rio venceu por 3 x 0 o Duque de Caxias, garantindo a 4ª colocação no campeonato estadual por índice técnico, totalizando 26 pontos, atrás apenas de Flamengo, Fluminense e Botafogo e na frente do Vasco que totalizou 24 pontos. Com esta posição no estadual, o Boavista conquistou vaga para disputar a série D do Campeonato Brasileiro, que dá acesso às Séries C, B e A sucessivamente. Após o encerramento da Taça Rio, num quadrangular (mata-mata), torneio de consolação chamado Taça Carlos Alberto Torres, reunindo Botafogo, Boavista, Madureira e Americano, o verdão de Saquarema ganhou do Botafogo e perdeu o jogo final para o Madureira. O jogo foi num clima de fim de festa, provocado pelo término dos contratos temporários da maioria dos jogadores. Contra o Madureira, por exemplo, o Boavista já não contou com o bom zagueiro Gustavo, liberado para acertar sua contratação pelo Flamengo. Ainda durante a disputa da Taça Rio, O Boavista já havia perdido o ala e volante Joilson (ex-Botafogo), negociado para o Figueirense de Santa Catarina.

De qualquer forma, o Boavista foi uma grata surpresa no campeonato estadual confirmando a qualidade do elenco, o melhor time que o verdão de Saquarema formou, desde que começou a disputar a série A do futebol estadual. A ressaltar também o excelente trabalho realizado pelo técnico Alfredo Sampaio, um bom profissional, com sólidos conhecimentos teóricos e ótimo retrospecto treinando os chamados times pequenos.

O Saquá 133 – Maio/2011

Matéria publicada na edição de maio de 2011 do jornal O Saquá (edição 133)

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Marcelo Vignoli escreve sobre esporte para o jornal O Saquá.