Gastroenterite ou gastroenterocolite

Enfermagem - Dr. Renato José dos Santos

A gastroenterocolite ou gastroenterite aguda, também chamada da gastroenterite é uma doença que se caracteriza por inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago e do intestino. A doença está relacionada com as condições precárias de higiene. Mais de 90% dos casos deve-se a vírus, mas pode ser causada também por bactérias e outros microorganismos, sobretudo ao se ingerir líquidos e alimentos contaminados ou deteriorados.

A gastroenterite ocorre com maior frequência nos meses quentes, pelo fato do calor favorecer à deterioração dos alimentos. Os microorganismos entram no corpo humano, principalmente pela boca, chegando ao estômago e aos intestinos. O organismo de boa parte das pessoas reage e neutraliza a ação deles, mas quando isso não ocorre, felizmente com uma minoria, eles se multiplicam e atacam as mucosas, liberando toxinas que inflamam e tornam a parede intestinal mais permeável. Ocorre então o seqüestro de grande quantidade de líquido para o interior do intestino, até dos vasos sanguíneos, deixando as fezes mais fluidas, causando diarréia.

Portadores da gastroenterite podem ter também dor e cólica abdominal e urgência para evacuar, ás vezes acompanhadas por náuseas, vômitos e febre. O perigo da doença é a desidratação, pela grande perda de fluidos orgânicos. Nas situações mais graves, o doente pode perder também eletrólitos como potássio, sódio e cálcio em demasia, com prejuízos importantes para os rins, o coração e o cérebro, o que às vezes é fatal.

O ideal, claro, é evitar a gastroenterocolite. Algumas medidas básicas para evitar a doença são: lavagem das mãos com água e sabão antes de manipular alimentos, antes das refeições e após ir ao banheiro. Guarde na geladeira sobras de alimentos que for consumir depois. Em viagens por regiões em que as condições sanitárias são precárias, beba somente água mineral ou água fervida e fique atento aos alimentos suspeitos.

A gastroenterocolite apresenta os sintomas de diarréia, náuseas, vômitos e desidratação. O tratamento visa evitar a desidratação e melhorar os sintomas. Em alguns casos, a pessoa tem que realizar hidratação por via venosa e fazer uso de antibióticos. Cuide de sua saúde, observando bem os alimentos que serão consumidos; em caso de alimentos suspeitos, não arrisque. Preserve sua saúde.

O Saquá 131 – Março/2011

Artigo publicado na edição de março de 2011 do jornal O Saquá (edição 131)

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Renato José dos Santos é enfermeiro. E-mails: renatojsantos@uol.com.br e renatojsantos@petrobras.com.br.