Um “saquarema” no poder

O deputado Paulo Melo chega à presidência da ALERJ como um dos políticos mais influentes do Estado do Rio de Janeiro

Paulo Melo

Emocionado, Paulo Melo discursa na tribuna da ALERJ. Foto: Rafael Wallace / ALERJ

Foi uma eleição disputada palmo a palmo, com lances emocionantes. Até o final do ano passado, dois deputados disputavam abertamente com o então líder do governo, Paulo Melo (PMDB), a presidência da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). Favorito do governador Sérgio Cabral, que conseguiu afastar os dois deputados concorrentes, Edson Albertassi e Domingos Brazão, ambos do PMDB, finalmente o deputado Paulo Melo foi eleito presidente da ALERJ, depois de idas e vindas palacianas, incluindo acordos feitos e desfeitos, num piscar de olhos.

Paulo Melo ALERJ

1) Galerias e plenário lotados. Foto: Thaisa Araujo / ALERJ.
2) Paulo Melo com o ex-governador Marcelo Alencar. Foto: Rafael Wallace / ALERJ.

Com uma biografia notável e uma carreira ascendente, a cada ano e a cada mandato, Paulo Melo ocupou vários cargos importantes na ALERJ, a começar pelo de líder do governo Marcelo Alencar que, mesmo adoentado e em cadeira de rodas, fez questão de prestigiar com sua presença a eleição e posse do afilhado político, que abençoou no Rio de Janeiro. Emocionado, Paulo chorou várias vezes durante seu discurso, inclusive quando lembrou a oportunidade que o então governador Alencar lhe deu em seu primeiro mandato e que pesou decisivamente em sua trajetória na política fluminense.

Com 66 votos a favor, um único voto contra (da deputada Clarissa Garotinho), duas abstenções (de Marcelo Freixo e Janira Rocha) e uma ausência (do deputado Pedro Augusto, que chegou atrasado), Paulo Melo venceu com maioria esmagadora e conseguiu, através de grande articulação política, eleger uma Mesa Diretora favorável e representativa da maioria dos partidos na casa. Os vice-presidentes eleitos são: Edson Albertassi (PMDB), Gilberto Palmares (PT), Paulo Ramos (PDT) e Roberto Henriques (PR). Secretários: Wagner Montes (PDT), Graça Mattos (PMDB), Gerson Bergher (PSDB) e José Luiz Nanci (PPS). Suplentes: Samuel Malafaia (PR), Bebeto (PDT), Alexandre Corrêa (PRB) e Gustavo Tutuca (PSB).

Filho de pescador

Eleito com mais de 121 mil votos, para o 6º mandato, o mais votado do PMDB, Paulo Melo chegou ao topo do Poder Legislativo, onde obteve uma vitória retumbante, em sua eleição para presidente. Menino humilde, que não passou do 5º ano primário, como ele mesmo afirmou em seu discurso de posse, mas que hoje goza do respeito e admiração de seus pares, Paulo lembrou momentos difíceis de sua vida em Saquarema. Com lágrimas nos olhos e arrancando lágrimas dos olhos de deputados, parentes e amigos no plenário, retratou a casa de chão batido e a esteira no chão onde dormia com seus pais e irmãos, num bairro pobre do pequeno município da Região dos Lagos. Filho de um pescador e de uma parteira, Seu Cacazinho e Tia Clementina, Paulo foi vendedor de cocadas até fugir para o Rio de Janeiro, onde virou menino de rua, albergado da Fundação Leão XIII, tornando-se mais tarde lavador de carros e despachante do Detran, antes de entrar na política.

Eleito vereador em Saquarema, pouco depois retornou ao Rio como deputado, assumindo a Comissão da Criança e do Adolescente na ALERJ, que o projetou na cena política. Em 20 anos como deputado, foi presidente das mais importantes Comissões Parlamentares na ALERJ, inclusive da poderosa Comissão Permanente de Constituição e Justiça, por onde tudo passa no Legislativo. O deputado também presidiu a CPI do Propinoduto, no mandato 2003/2006, quando atingiu grande visibilidade, através da mídia.

Considerado um hábil articulador político, Paulo Melo já começou a dar os primeiros passos na presidência da ALERJ com um grande programa de trabalho que inclui a reforma do prédio anexo, melhorias na informatização da casa, uma gestão transparente, concurso público e a valorização do Palácio Tiradentes como patrimônio histórico, integrado à vida cultural da cidade do Rio de Janeiro.

Paulo Melo ALERJ

1) Presentes: o presidente da Câmara de Saquarema, Vinicius, o vereador Romacart e o ex-prefeito Dalton Borges, entre outros. Foto: Edimilson Soares. 2) O deputado com filhos, netos e a esposa Franciane. Foto: Rafael Wallace / ALERJ.

Foi uma eleição e posse festivas, com muitas faixas nas galerias, aplausos, discursos, declarações e elogios. Uma grande delegação de Saquarema se fez presente. Praticamente todos os vereadores saquaremenses foram abraçar o filho da terra. A maioria dos secretários municipais também estava lá, entre eles o de administração, Alexandre, da controladoria, Rita e de Promoção Social, Zezinho. Um momento culminante foi quando o deputado chamou a primeira dama da ALERJ, sua esposa Franciane Motta, prefeita de Saquarema, e deu um “selinho” nela em público, já sentado na cadeira de presidente. Foi ovacionado!

Paulo Melo é um “saquarema” no poder, como foram também saquaremenses os mais influentes barões do café, no tempo do Império. No século 19, chamavam-se “saquaremas” os políticos conservadores que apoiavam o imperador. E “luzias” eram os que faziam oposição ao imperador: os liberais. Porém, considerados grandes articuladores, os “saquaremas”, que permaneceram no poder durante cerca de 40 anos, não só dominaram a política no Império como promoveram verdadeiras transformações liberais. Se fizer juz a sua herança “saquarema”, Paulo Melo vai surpreender muita gente, com sua verve política à flor da pele, com seu instinto. Vocacionado, com certeza.

O Saquá 130 – Fevereiro/2011

Matéria publicada na edição de fevereiro de 2011 do jornal O Saquá (edição 130)

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Dulce Tupy é editora do jornal O Saquá e da Tupy Comunicações.