Natal permanente e anos de PAZ

Ética na Política - Bruno Pinheiro

Meus irmãos saquaremenses, minha gente. Foi Natal e é sempre, basta que o espírito natalino esteja dentro dos nossos corações! Desejo a todos que o novo ano seja de amor fraternal e igual para todas as pessoas; Desejo um Natal permanente de amor ao próximo e caridade, sinônimo de paz.

Ilustro os meus desejos com a letra da música de Roberto Carlos que é uma verdadeira lição de amor, pois retrata de forma simples e harmônica o real sentido do Natal e da vida:

“Hoje eu estou tão em paz comigo; Parece até que não faz sentido o que eu tenho chorado, o que eu tenho sofrido. Hoje eu olhei o céu da minha janela; Vi no meu coração a presença tão bela, de Jesus sorrindo e dizendo pra mim: Vem, deposita em minhas mãos todos os seus problemas, levante esse olhar, não chore, não tema, não perca essa fé que você tem em mim. Quem vem a mim se alimenta do pão da vida. Senhor, consolai os que choram; Curai os que sofrem, nas ruas, nos guetos, nos becos escuros, na chuva, no frio, sem teto e sem pão. Quem segue os meus passos não sente as feridas, tem a paz que eu dou, é feliz enfim. Senhor perdoai meus pecados, me aceita a seu lado, me deixa tocar o seu manto sagrado e a graça que eu peço terei na sua luz. Senhor, quem sou eu pra que entreis em minha morada? Mas um fio de sua luz numa telha quebrada ilumina uma vida pra sempre. Piedade daqueles que pensam que a felicidade é a riqueza, o poder. Ser feliz na verdade é quem tem Jesus dentro do coração. Jesus Salvador, Jesus Salvador…”

Feliz ano de 2011 meus irmãos Saquaremenses, povo trabalhador, minha gente competente e querida.

Porque assim, teremos uma sociedade sempre feliz, com melhores condições de trabalho e vida, por um Brasil justo e perfeito; uma Saquarema respeitada e muito melhor.

Fiquem com DEUS. Um grande abraço, Bruno Pinheiro.

O Saquá 129 – Janeiro/2011

Artigo publicado na edição de janeiro de 2011 do jornal O Saquá (edição 129)

Compartilhe!
Palavras-chave:

Sobre o autor

Bruno Pinheiro é advogado.