O que você quer ser quando crescer?

Esporte é Vida - Raysa Himelfarb

Se fizermos esta pergunta para um menino brasileiro, na maioria das vezes teremos a resposta “jogador de futebol”. Muitos deles desistem e mudam de planos ainda na infância, outros continuam com o sonho. A maioria enxerga no futebol a chance de ganhar dinheiro e alcançar a fama e, com a forte rotina de treinamento, acabam abandonando a escola.

É claro que há exceções, mas a falta de base fica evidente, em um primeiro momento, nas entrevistas, quando o atleta parece repetir um roteiro repleto de clichês, falas decoradas e erros de português. Porém, o grande problema é quando a falta de estudo começa a influenciar nas atitudes dele. O goleiro Bruno, do Flamengo, tinha um grande futuro pela frente, mas viu a sua carreira ser interrompida ao ser acusado de matar a ex-namorada, em um crime que chocou o país.

Esse problema não afeta só os brasileiros. O maior ídolo da Argentina e talvez o melhor jogador do mundo de todos os tempos, Diego Maradona, largou os estudos para jogar bola. E, em 1991, viu sua carreira ruir ao ser pego no exame anti-doping por uso de cocaína.

Infelizmente, casos como esses não são raros. Por isso, é importante que atletas tenham a noção de que são exemplo para muita gente. É essencial que eles conciliem estudo e carreira, para não termos que assistir a esses filmes de novo.

Capa O Saquá 126

.

Artigo publicado na edição de outubro
de 2010 do jornal O Saquá (edição 126)

Compartilhe!

Sobre o autor

Raysa Himelfarb é aluna da faculdade de Comunicação Social. E-mail: coluna.raysa@gmail.com