Encontro de águas e florestas

Antiga fábrica de tecidos, o campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), situado no Parque do Curió, em Paracambi, abrigou o 1º Encontro Estadual de Águas e Florestas, que reuniu representantes da sociedade civil, governos municipais, comitês de bacias hidrográficas, empresas e um público estimado em 1000 pessoas, em torno da proteção das árvores, nascentes e corpos hídricos. Participaram do evento que durou 2 dias a secretária de Estado do Ambiente, Marilene Ramos, o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Luis Firmino, o prefeito de Paracambi, Tarciso Pessoa e o ex-ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, entre outros.

Em seu discurso, o secretário do Instituto Terra de Preservação Ambiental (ITPA), Maurício Ruiz, falou do pagamento por serviços ambientais (PSA), que vem sendo praticado em várias microbacias hidrográficas, no Estado do Rio de Janeiro e no país. Foram apresentados exemplos de restauração de florestas como o desenvolvido na bacia do Rio Piraí (RJ), tema da palestra de Gilberto Pereira, diretor técnico do IPTA. Thiago Belote, técnico ambiental do projeto ProdutorES de Águas, do Instituto BioAtlântica (IBio), do Espírito Santo, explicou a relação entre os recursos dos royalties de petróleo, doações e outros patrocínios na manutenção da qualidade/quantidade de água no estado. Já Paulo Henrique Silveira, responsável pelo Departamento Municipal de Meio Ambiente da prefeitura de Extrema (MG), falou sobre o primeiro projeto de PSA do país, realizado desde 2003 em sua cidade.

Gabriela Viana, do IBio, apresentou o projeto do Corredor Ecológico do Muriqui, que abrange 8 municípios, 8 bacias hidrográficas, 5 mil propriedades rurais e 23 unidades de conservação na Serra do Mar; o coordenador do Projeto Corredores Florestais, da Associação Mico-Leão-Dourado (AMLD), Rosan Fernandes, falou da meta de proteger e interligar 25 mil hectares de florestas; e o secretário do Comitê de Bacia Lagos São João, Mário Flávio e a engenheira agrônoma Nathália falaram do Fundo de Boas Práticas que vem sendo implantado em Silva Jardim.

O 1º Encontro Estadual de Águas e Florestas apresentou também a linha de crédito do BNDES Mata Atlântica, através da palestra do chefe do departamento de Políticas e Estudos de Meio Ambiente do banco, Mário Costa. No final do evento, foi aprovada a Carta de Águas e Florestas do Estado do Rio de Janeiro.

Capa O Saquá 124

.

Matéria publicada na edição de setembro
de 2010 do jornal O Saquá (edição 124)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.