Começa “oficialmente” a campanha que já começou

Opinião - Silênio Vignoli

Se só no dia 6 de julho poderia ter início a campanha eleitoral, de acordo com a legislação, porque desde muito tempo as pesquisas rolam, semanalmente, com destaque na mídia? Só pode ter sido mais uma temporada do teatrinho de fantoches desta republiqueta tupiniquim. Se a campanha não podia começar antes do dia 6de julho, o que as pesquisas refletiram então? Intenção de que? De voto não podia ser. Ninguém sabia quais eram os candidatos e, por conseguinte, muito menos, as propostas de cada um deles. Este foi o primeiro ato do teatrinho de fantoche, encenando a peça “Campanha Antecipada Fora da Lei”.

No segundo ato da peça “Campanha Antecipada Fora da Lei”, agentes da lei surpreenderam candidatos em campanha antes do prazo legal e aplicou multas de 5 mil reais. Diante da reação dos infratores, os marqueteiros consolaram seus clientes, fazendo uma paródia de versos do grande poeta Fernando Pessoa: “Tudo vale a pena/quando a multa é bem pequena”. Os marqueteiros são os principais responsáveis pelos teatrinhos de fantoches, que manipulam o voto da maioria dos eleitores. Isto começou em 1989, com o candidato Fernando Collor, aquele “machão” que ia pegar os marajás porque ele “tinha aquilo roxo”!

O exemplo mais marcante da manipulação de imagem e até de discurso, dizendo não aquilo em que acredita mas o que o povo quer ouvir, foi o da construção da imagem do “Lulinha paz e amor” inventado pelo marqueteiro Duda Mendonça que transformou um líder operário radical de macacão, cabelos e barbas grandes no candidato cordato e moderado, que trocou o macacão por gravata e ternos bem talhados, vencendo as eleições presidenciais em 2002. Duda fez brotar o burguês adormecido dentro do operário que depois confessaria nunca ter se sentido bem num macacão… O teatrinho de fantoches retorna agora, a partir do próximo dia 17 de agosto, e você vai poder assistí-lo diariamente nas emissoras de rádio e TV, no horário eleitoral, com muito rebolation, prometation e embromation. Podem acabar até dizendo que o PAC só é comparável aos 12 trabalhos de Hércules, ou até mesmo que às pirâmides do Egito que são pouco diante do programa Minha Casa, Minha Vida.

Capa O Saquá 123

.

Artigo publicado na edição de agosto
de 2010 do jornal O Saquá (edição 123)

Compartilhe!

Sobre o autor

Silênio Vignoli é editor adjunto do jornal O Saquá.