Vôlei brasileiro conquista a liga mundial pela nona vez

A Seleção Masculina de Vôlei esbanjando sua jovem energia. Foto: FIVB/Divulgação.

Considerado o melhor do torneio, o jovem Murilo elogia o Centro de Desenvolvimento do Vôlei em Saquarema

Ao derrotar o paredão russo por 3 x 1, a seleção brasileira masculina de vôlei conquistou o título de campeã da Liga Mundial pela nona vez, superando a Itália com oito, conseguindo superar as desconfianças no processo de renovação, imposto pela ação do tempo sobre a idade dos atletas. Apesar dessa renovação, o vôlei masculino sustentou, mais uma vez, a condição do Brasil de time imbatível na Liga Mundial, tornando-se o maior vencedor da história desse torneio. É uma trajetória espetacular, iniciada em 2001, a chamada “Era Bernardinho”, em alusão ao técnico da nossa seleção de ouro. Hoje, não há esporte no Brasil tão bem sucedido internacionalmente quanto o vôlei. Nem o famoso futebol brasileiro…

O vôlei masculino do Brasil está mostrando que a renovação não é uma coisa simples, mas também não é nenhum fantasma. A conquista do nono campeonato da Liga Mundial foi possível mesmo com a substituição de “monstros sagrados”, como Giba (a maior parte do tempo no banco de reserva com lombalgia), Gustavo, André Nascimento e Escadinha, entre outros, medalhas de ouro em Atenas e prata em Pequim. O gabarito desta seleção de vôlei renovada foi comprovado no set final contra a Rússia, quando o Brasil teve que jogar desfalcado do novato Leandro Visotto (contundido na semifinal contra Cuba) considerado um dos destaques da competição. O substituto Théo, outro novato, jogou uma enormidade. Já o ponteiro Murilo, sucessor de Giba, foi eleito o melhor jogador do torneio, ganhando 30 mil dólares como o melhor líbero da competição. Estrela do torneio, respondeu ao técnico de Cuba, Orlando Samuels, fazendo provocação, ao afirmar que a seleção brasileira não era a mesma: “De fato, o time não era o mesmo, mas entramos em quadra e ganhamos. O time é outro, mas igualmente guerreiro. Francamente, não sei quantas seleções de vôlei do mundo têm um Centro de Treinamento como o nosso em Saquarema. Lá a renovação flui naturalmente, inclusive porque os jovens convivem, treinam e jogam com os titulares que são jogadores consagrados”.

Desde 2001, o técnico Bernardinho vem mexendo as peças e continua no podio. Hoje, a seleção brasileira já voltou para o Brasil, para treinar no Centro de Desenvolvimento do Vôlei, em Saquarema, agora focada no Campeonato Mundial que será disputado em Roma, entre 25 de setembro e 10 de outubro. É o próximo desfio, quando o Brasil tentará o tricampeonato consecutivo, o que só foi conseguido até hoje pela Itália (1990, 1994e 1998) que é a sede da competição. Enquanto isso, as meninas da seleção brasileira acabam de deixar o Centro do Vôlei de Saquarema, no último dia 30, após três meses de preparação, rumo à cidade de São Carlos (SP) para iniciar contra Taiwan, no dia 6 de agosto, a disputa de mais um Grand Prix,que elas poderão conquistar também pela nona vez, mas o objetivo maior da seleção feminina este ano é o campeonato mundial, competição que o vôlei feminino jamais ganhou. (MV)

Capa O Saquá 123

.

Matéria publicada na edição de agosto
de 2010 do jornal O Saquá (edição 123)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.