O brilho no olhar de cada um

Enfermagem - Dr. Renato José dos Santos

Aos domingos, quando estou de plantão no Hospital Municipal Nossa Senhora de Nazareth, em Saquarema, encontro sempre o Capelão Carlos Alberto da 1ª Igreja Batista de Bacaxá. Esse servo de Deus e sua equipe estão todos os domingos no hospital levando amor, esperança, consolando e ajudando os nossos internos. Um dia desses ao chegar ao Hospital, recebi uma folha com uma mensagem aos profissionais de enfermagem, onde estava escrito o seguinte texto: Enfermagem, personalidade central deste campo vasto de alegria, dor, sentimento e compaixão. “Escrito por Ana Nery”.

Um texto com a sua marca, sua liderança, sua disponibilidade de lutar para ajudar aqueles que passaram pelos seus cuidados, sua simplicidade de servir ao próximo, com grande satisfação de pertencer a uma das mais importantes instituições de saúde do País, a Cruz Vermelha…

O Capelão parabenizava nesta mensagem os profissionais de Enfermagem, que dedicam sua vida em prol do próximo. Ele relata se sentir honrado de poder trabalhar em conjunto com a equipe de saúde do Hospital Municipal, que apesar das adversidades do dia a dia conseguem executar bem as suas tarefas que são cuidar do ser humano nos seus momentos de dor e desespero. E, finalizando, parabenizou as equipes de trabalho e exaltou a todos pela dedicação profissional com os doentes.

Prezado Capelão Carlos, eu na minha vida profissional já encontrei várias missões de Capelania realizando seus trabalhos em vários hospitais. Alguns talvez nem saibam o trabalho relevante que realizam em um hospital, que tem como missão atuar levando uma mensagem àquelas pessoas que necessitam de um atendimento espiritual, emocional, social e recreativo, sem distinção de religião, sexo, raça ou classe social.

Parabenizo o senhor e sua equipe por fazerem parte das nossas vidas no nosso dia a dia no hospital. E tenho certeza que o brilho no olhar de cada paciente, fica mais acentuado quando nós damos atenção, amor e carinho. A doença, por mais agressiva que seja, torna-se mais amena com o calor humano das nossas equipes de trabalho. Temos imensa alegria quando um paciente tem alta do hospital; sentimos dor com o sofrimento dos mesmos e ficamos satisfeitos com a sua recuperação. Temos sentimento de impotência quando perdemos um paciente na sua luta contra a doença. Sentimos compaixão no nosso dia a dia, daquele pai, mãe, irmão, tia ou avós que perderam um ente querido. Temos um brilho no olhar de reconhecimento por todos aqueles que valorizam o nosso trabalho profissional e reconhecem o nosso papel no ambiente hospitalar. Temos um brilho no olhar por todos que como nós da Enfermagem, trabalham com os pacientes, levando aos mesmos uma palavra de conforto e paz.

Temos um brilho no olhar por nos colocarmos no lugar do doente e temos a certeza que estamos dando o nosso melhor para confortá-lo, protegê-lo e ampará-lo nos seus momentos de fragilidade. Temos certeza que quando chegarmos à vida espiritual, Cristo não perguntará quantas coisas fizemos, mas quanto amor colocamos em nossos atos.

Capa O Saquá 122

.

Artigo publicado na edição de julho
de 2010 do jornal O Saquá (edição 122)

Compartilhe!

Sobre o autor

Renato José dos Santos é enfermeiro. E-mails: renatojsantos@uol.com.br e renatojsantos@petrobras.com.br.