Escola Técnica de Bacaxá começa em agosto

Na audiência pública para definir os cursos da Escola Técnica, a secretária de educação Ana Paula, a prefeita Franciane. a professora Cristina e o professor Celso. Foto: Edimilson Soares.

A partir de agosto, a Escola Técnica de Bacaxá, em construção na Barreira, poderá iniciar sua primeira turma do curso de Inglês para Turismo. A expectativa é do presidente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Faetec), Celso Pansera, que esteve em Saquarema, para participar da audiência pública que apresentou os cursos que serão implantados na unidade educacional, com previsão de pleno funcionamento a partir de fevereiro de 2011. Centenas de pessoas – entre professores, estudantes e trabalhadores – participaram do encontro ocorrido na casa de festas Stylus, em Bacaxá, ouvindo atentamente as exposições sobre os planos pedagógicos e de infraestrutura para a futura Escola Técnica. Estiveram presentes a prefeita Franciane Motta, o deputado estadual Paulo Melo, o presidente da Câmara, José Carlos Cabral, a vice-presidente da Faetec, Cristina Lacerda, o coordenador técnico do Núcleo de Projetos, Alcides Martins, a secretária municipal de educação e cultura, Ana Paula, entre outra autoridades.

Considerada a maior escola técnica individual do Estado do Rio, perdendo apenas para o complexo de Quintino, no Rio de Janeiro, a Faetec de Bacaxá terá uma área construída de cerca de 10 mil metros quadrados, incluindo 19 salas de aula, 18 laboratórios, biblioteca, sala de leitura, refeitório com 140 lugares, auditório para mais de 300 pessoas e grande parque esportivo.

“O governador Sérgio Cabral decidiu fazer a obra em Saquarema porque entendeu que nós precisávamos de uma unidade que criasse expectativa e proporcionasse esperança de um futuro melhor para nossos jovens e para as pessoas que queiram se qualificar para o mercado profissional”, disse o deputado Paulo Melo. “A discussão que desenvolvemos neste encontro de hoje faz parte da construção do futuro não só de Saquarema, mas de toda a Região dos Lagos”, reiterou a prefeita Franciane Motta.

Segundo a professora Cristina Lacerda, a nova escola tem uma condição estratégica, localizada a apenas 65 quilômetros do município de Itaboraí, onde será implantado o Complexo Petroquímico da Petrobras (Comperj) que tem previsão de empregar cerca mais de 220 mil trabalhadores diretos e indiretos em sua operação.

O professor Alcides Martins apresentou de forma detalhada uma sugestão dos primeiros cursos que poderão ser implantados no município, a partir de uma análise feita com base na demanda sócio-econômica da região. Na área de cursos técnicos, de nível médio, e com duração prevista entre um ano e meio e três anos, a sugestão é que sejam implantados cursos de Petróleo e Gás, Eletromecânica, Segurança do Trabalho, Técnico em Meio Ambiente, Edificações e Hospedagem. Já para a qualificação profissional, com carga horária mínima de 160 horas, está prevista a implantação de cursos das áreas de Petróleo e Gás e Indústria (manutenção mecânica e industrial, eletricista industrial, sistemas hidráulicos e pneumáticos, controladores lógicos programáveis), Construção Civil (pedreiro, serralheiro, eletricista predial, bombeiro hidráulico, armador de ferro, carpinteiro de formas), Hotelaria (garçom, copeiro, camareira, assistente de gerência hoteleira, recepcionista, Inglês e Espanhol para turismo) e Comércio (assistente administrativo, auxiliar de escritório, promotor de vendas, informática básica, estoquista).

A previsão é de que sejam abertas 2.766 vagas anuais, sendo 960 para cursos técnicos e 1.806 para cursos de qualificação profissional. Segundo o presidente da Faetec, Celso Pansera, haverá também espaço para abrigar cursos técnicos de nível superior, o que já está sendo estudado para uma segunda fase de desenvolvimento do projeto no município.

Com uma participação bastante ativa, o público presente fez perguntas e deu sugestões de cursos como marketing, logística, gastronomia, cuidador de idosos, soldador e outros. A partir desta audiência pública, a Faetec vai avaliar as vocações locais e as demandas do público, visando uma melhor adaptação de sua grade de cursos para atender a região. Celso Pansera também informou que um concurso público para professores da Faetec deverá ser aberto nos próximos meses e que o primeiro concurso para seleção de alunos da unidade de Bacaxá deverá ocorrer ainda este ano, no mês de dezembro. Para os cursos de qualificação profissional, o acesso será feito através de sorteio, conforme já acontece em outras unidades da Faetec no Estado.

Capa O Saquá 122

.

Matéria publicada na edição de julho
de 2010 do jornal O Saquá (edição 122)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.