Brasil estreia dia 15 pensando no hexa

Por: Marcelo Vignoli

Começou a contagem regressiva para o início de mais uma Copa do Mundo, o maior evento esportivo do planeta, cuja abertura será no próximo dia 11, em Johannesburgo, às 11 horas, com a partida entre as seleções da África do Sul, país sede da competição, e do México, integrantes do Grupo A. O Brasil só estreia no dia 15, às 15h 30min, também em Johannesburgo, enfrentando a Coreia do Norte pelo grupo G. No dia 20, no mesmo horário e local, o Brasil jogará contra a Costa do Marfim e, no dia 25, às 11 horas, em Durban, contra Portugal, encerrando sua participação na primeira fase da copa, de onde sairão para as oitavas-de-final os dois primeiros colocados em cada um dos oito grupos com quatro países de cada grupo.

Apesar de não ser fácil, como nenhum outro grupo é, o do Brasil, nesta primeira fase, que é classificatória, também não é nenhuma pedreira. Se jogarmos o que somos capazes, poderemos nos classificar como primeiro do grupo. Até a ordem dos jogos nos favorece, porque a estreia, sempre cercada de nervosismo, é contra a fraca Coreia do Norte, que só participou de uma Copa do Mundo, em 1966, e hoje é a 84ª no ranking da Fifa. A segunda partida é diante da Costa do Marfim, a melhor seleção africana do momento, contando com Didier Drogba, campeão na Inglaterra pela equipe Chelsea e artilheiro do campeonato inglês com 29 gols, que disputará sua segunda Copa, considerado um dos melhores atacantes do mundo e referência numa seleção que conta ainda com outros craques que brilham em grandes times da Europa, como Eboué (Arsenal), Kolo Touré (Manchester City), Yaya Touré (Barcelona) e Kalou (Chelsea). Apesar disso, da velocidade e do preparo físico, a seleção da Costa do Marfim é considerada, no conjunto, praticante de um futebol sem disciplina tática. Já a seleção de Portugal, onde jogam Cristiano Ronaldo, eleito o melhor do mundo em 2008, e três brasileiros naturalizados (Deco, Liédson e Pepe) terá que melhorar para endurecer o jogo contra o Brasil, pois se passou um sufoco nas eliminatórias para a Copa, classificando-se a duras penas na repescagem.

Em seu primeiro jogo, o mais fácil, contra a Coreia do Norte, o Brasil precisa vencer com um bom saldo de gols para garantir a vaga de primeiro do grupo em caso de empate com Portugal. Se a Costa do Marfim perder para Portugal, em sua estreia, vai ser obrigada, no segundo jogo contra a seleção brasileira, a buscar uma vitória a qualquer preço, atuando ofensivamente, do jeito que o Brasil gosta que seus adversários joguem. É bem provável que o vencedor do jogo entre Portugal e Costa do Marfim fique com a segunda vaga do grupo e o Brasil com a primeira, o que favoreceria o time de Dunga em relação ao adversário (segundo colocado do grupo H) na fase seguinte, a das oitavas-de-final, onde quem perder volta pra casa.

Um Dunga cheio de moral pelos resultados obtidos

A seleção brasileira desembarcou na África do Sul iniciando, imediatamente, a fase preparatória intensiva cujo principal desafio é tornar fisicamente competitivo um grupo de jogadores que tem a média de idade mais alta da história do futebol brasileiro em Copas do Mundo, até porque Dunga mostrou-se irredutível diante dos insistentes apelos da crônica esportiva e de torcedores que pediram a convocação de jovens talentos como Paulo Henrique Ganso e Neymar. Desde o final das eliminatórias, a seleção já estava praticamente definida por um Dunga cheio de moral, porque, para um técnico, futebol é resultado e ele, após três anos e meio à frente da seleção, ganhou a Copa América, em 2007, a Copa das Confederações, em 2009, e classificou o Brasil para a Copa do Mundo com o melhor time das eliminatórias sulamericanas, garantindo a vaga com duas rodadas de antecedência. Sob seu comando, a seleção marcou 110 gols e sofreu apenas 38. Porém, no time que Dunga armou para disputar a Copa, o que mais preocupa é o meio-de-campo, onde os preferidos do técnico são muito burocráticos, deixando a desejar em matéria de futebol criativo. Enfim, seja o que Deus quiser. E muitos garantem que Ele é brasileiro…

Capa O Saquá 121

.

Matéria publicada na edição de junho
de 2010 do jornal O Saquá (edição 121)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.